Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: Dedo em Botoeira Traumática

Mecanismo: lesões abertas ou fechadas (flexão brusca do dedo estendido)

Deformidade em botoeira: lesão do tendão extensor central e ligamento triangular, levando a luxação volar dos tendões extensores laterais, com flexão da IFP e hiperextensao da IFD

História natural: sem tratamento – contração da placa volar e ligamentos retinaculares transversos com luxação anterior das bandas laterais, com resultante hiperextensão da IFD

Tratamento da lesão aguda:
– Fase pré-botoeira= tala por 6 semanas ou fixação com FK ou tratamento cirúrgico com reparo

Tratamento:

Conservador precoce em lesões fechadas (extensão completa por 4-6 semanas)

Cirúrgico agudo
– reparação primária se laceração (sutura + proteção com FK transarticular por 4 semanas + proteção após)
– Reparo primário das lesões abertas e avulsões ósseas

Tratamento lesões tardias (botoeira)
Cirúrgico crônico: resultados ruins

– Deve se ter ADM passiva completa (liberar se necessário)
– Pode se fazer o reparo das estruturas (ligamento triangular, realinhamento dos extensores laterais)

Técnica de Matev = transferência dos tendões extensores laterais para tendão central

Deformidade fixa em botoeira = prótese de silicone para idosos e profissionais liberais// artrodese para trabalhadores braçais

Técnica de Littler: liberação de retrações retinaculares e sutura do t. extensor – bandas central e laterais

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close