Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: Fratura supracondiliana de úmero

Típicas da idade escolar, 75% das fraturas do cotovelo em crianças, 70% das vezes causadas por QPA.

Pico precoce: ao redor dos 5 – 8 anos de idade, + freqüente em meninos 3:2, Mais comum durante o verão, Lado esq. é + acometido (não dominante), Pode haver fratura do punho, úmero proximal, entre outras lesões associadas

Irrigação: Rede anastomótica que forma um suprimento extra-ósseo e intra-ósseo. A superfície de articulação do capítulo com a tróclea projeta-se distalmente e anteriormente num ângulo de aproximadamente 30-45º. Há uma rotação horizontal dos côndilos umerais em relação à diáfise, com o côndilo lateral rodado 5º medialmente.

O cotovelo é responsável por cerca de 20% do crescimento longitudinal do MS. Na idade de acometimento mais comum, o osso em remodelação causa um decrescimento no diâmetro AP da região supracondiliana, fazendo desta área um região susceptível à lesão

Classificação Gartland: Tipo I: s/ desvio ou c/ desvio mínimo; Tipo II: com desvio mas ainda com contato em entre os fragmentos (divididas entre impactadas em varo ou valgo); Tipo III: com desvio e s/ contato entre os fragmentos (divididas entre desvio póstero medial e póstero lateral)

RX: Deve conter ao menos a incidência em AP e P do cotovelo; Especiais: Jones e oblíquas; Contralateral. No AP: Ângulo de Baumann: linha fisária do côndilo lateral em relação ao eixo do úmero. Normal é de 15-20º e semelhante ao lado oposto; Ângulo de carregamento: Linha médio-diafisária do úmero em relação à linha médio diafisária da ulna. Discretamente aumentada em meninas; Ângulo metafisio-diafisário:Formada pela intersecção do eixo longo do úmero com uma linha que liga os dois pontos mais largos da metáfise; No Perfil: Linha umeral anterior; Linha médiodiafisária do rádio; Linha do coronóide

Tratamento: Tipo I: conservador com tala ou gesso 3 semanas. Tipo II: Conservador ou cirúrgico, dependendo da estabilidade. Tipo 3 cirúrgico
FK cruzado é o biomecanicamente mais estável

Lesão do radial no desvio póstero-medial, lesão do mediano no desvio póstero-lateral e lesão do ulnar em flexão e iatrogênica

Complicações: Síndrome de compartimento, lesão vascular, lesão neurológica, cúbito varo (mais comum), cúbito valgo

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close