Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: Escoliose idiopátia

Pela localização da curva:
– Cervical: C2-C6
– Cervicotorácica: C7-T1
– Torácica: T2-T11
– Toracolombar: T12-L1
– Lombar: L2-L4
– Lombossacra: abaixo de L5

Desbalanço musculoesquelético produzindo um desvio da linha média no plano frontal sem causa definida
– Infantil: 0-3 anos
– Juvenil: 4-10 anos
– Adolescente: 11-17 anos
– Adulto: acima de 18 anos

Inspeção da pele / Avaliar dismetrias / Exame neurológico / Teste de Adams / Testar equilíbrio

RX AP+ P com inclinações Ângulo de Cobb / Risser / Cartilagem trirradiada
RM: Quando houver deficit neurológico / Para excluir mal formações / Na programação de cirurgia / CINTILO: excluir TU e infecções / US: excluir mal formações genitourinárias

80% é classificada como idiopática / 0,5-3% para escoliose juvenil e do adolescente com curvas superiores a 10 graus
– 1,5-3 por mil para curvas acima de 30 / 89,5% do adolescente / 10,5% juvenil / 0,5% infantil

INFANTIL: Prevalência de 3:2 mas/fem / 90% é autolimitada e desaparece / Curva para esq em 90% dos casos
– Estão associadas em 50% dos casos a outras patologias como plagioencefalia, displasia coxofemoral, cardiopatia congênita e retardo mental
– Fatores de risco: DACV -> se < que 20 mais de 83% de cura / se > que 20 mais de 84% de progressão

JUVENIL: Crianças de 4-10 anos / Meninos são acometidos antes que meninas / Curvas para dir e esquerda semelhantes abaixo de 6 anos e predominam curvas a dir acima desta idade / Curvas acima de 30 são progressivas, com 1 a 3 por ano abaixo de 10 anos e chegando a 11 acima desta idade, e nescessitam de tto

ADOLESCENTE: Acima de 10 anos / 0,5-3% prevalência para curvas acima de 10 / 5% evoluirão para curvas acima de 30 / Curvas mais graves são mais comuns em meninas
– Fatores de risco: Sexo / Magnitude da curva / Localização da curva
– Crescimento esquelético ainda restante / Risser 3 progressão em 10% / Risser 0-1 progressão em 60-70%

ADULTOS: SE a curva < 30 não progridem / Se a curva entre 50-75, progressão de 1º ao ano / Pacientes tem risco de morte 2x maior por problemas cardiopulmonares / Podem evoluir com dor

ÓRTESES: Curvas de 25-30 / Limite superior de 45º / Risser inferior a 3 / Em curvas menores que 30 com rápida progressão / Resultado final é a manutenção da curva / Base ciêntifica não muito convincente

INDICAÇÕES CIRÚRGICAS: Magnitude da curva / Curva torácica de 40-50º em pacientes imaturos / Acima de 50º em pacientes maduros
– Deformidade clínica / Risco de progressão / Padrão da curva

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close