Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: síndrome do impacto no ombro

Epidemiologia
Dois grupos de pacientes:
Jovens:
– Trauma repetitivo / Desbalanço / Despreparo muscular
– Instabilidade gleno-umeral / Contraturas capsulares
Adultos e Idosos:
– Degeneração tendinosa primária /Anormalidades morfológicas do arco córaco-acromial

– Mulher / > 40 anos / 78% membro dominante / Dor de início insidioso / Face ântero-lateral do braço
– Agravada por movimentos de elevação e rotação interna / Perda de força (ruptura)

Fisiopatologia
Síndrome do Impacto
– Compressão da superfície dos tendões do manguito rotador contra a face ântero-inferior do acrômio e ligamento córaco-acromial / Degeneração tendínea
– Hipovasculrização (“zona crítica de Codman”)

Classificação
3 Estágios de Neer:
– Estágio I: Edema e hemorragia (< 25 anos)
– Estágio II: Fibrose e tendinite (24 – 40 anos)
– Estágio III: Ruptura parcial ou total ( > 40 anos)

Imagenologia
RX: AP + AP em RI e RE + Axilar + P escápula / Sinais de Impacto (esclerose sub-acromial e da grande tuberosidade – “lesão em espelho”) / Altura da cabeça umeral / Tipo de acrômio (classificação de Bigliani) / Osteófitos sub-acromiais e acrômio-claviculares
Artrografia / USG / RNM / ARTROSCOPIA

Tratamento
Fase I: Alívio da sintomatologia dolorosa (gelo, repouso, AINEs) / Fortalecimento de rotadores internos e externos e do bíceps-braquial
Fase II: Conservador X Cirúrgico / Acromioplastia
Fase III:Cirúrgico (videoartroscópico ou aberto) Acromioplastia
Reparo do manguito rotador: Tendão – Tendão ou Tendão – Osso (sutura trans-óssea ou com âncoras)

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close