Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: Rizartrose

Artrose da base do polegar
Mulheres dos 55 aos 65 anos, tendência a ser bilateral
Não há correlação clinica radiológica

Etiologia = Primária (fator hormonal), Secundária (fraturas, alterações mecânicas, displasias)

Clínica = Dor local, piora gradativa, piora com o uso das mãos, dor após uso, sintomas noturnos de STC, dor ao abrir rosca, dor ao abrir portas, dor ao escrever

Exame físico = Dor a compressão longitudinal e torção, aumento de volume, presença de adução do 1º MTC

Fisiopatologia = Frouxidão ligamentar, Movimentos repetitivos, Sinovite da TR-MC, Osteoartrite

Evolução da OA = Degeneração volar, formação de osteofitos, degeneração total, subluxação dorso radial, adução do 1º MTC, hiperextensão da MTC-F do polegar, degeneração da escafo trapezóide, panartrite

Fatores predisponentes = Sexo feminino, Raça caucasiana, Processo de envelhecimento

Radiografias = AP, perfil e oblíquas, e radiografias com esforço

Classificação de Eaton
I = ausência de destruição articular, espaço articular alargado se derrame estiver presente, subluxação menor do que 1/3
II= ligeira diminuição do espaço articular, osteofitos marginais menores que 2mm
III= destruição articular importante com cistos e esclerose, osteofitos maiores que 2mm, subluxação maior do que 1/3
IV= comprometimento de múltiplas superfícies articulares (escafotrapezóide)

Tratamento:

Inicialmente conservador com repouso, imobilização, alargamento da empunhadura de objetos
I = prevenção , com reforço ligamentar e adequação do trabalho
II= bloqueio do processo degenerativo, se a articulação for ruim, o tratamento é semelhante ao tipo III
III= artroplastia biológica ou protética, artrodeses nos trabalhadores braçais, trapezoidectomia total ou parcial
IV= trapezoidectomia total com suspensão

Resultados = 90% de bons resultados quanto a dor, Força retorna gradativa em 3 anos

Complicação = Dor, Migração proximal do 1º MTC, Infecção, Hiperextensão da MTC-F

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close