Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: entorse de tornozelo

Anatomia:

Maléolo fibular é mais longo e mais posterior e maior
Ligamentos Tíbio-Fibulares:
– Anterior –> tenso em dorsiflexão;
– Posterior –> Tenso em flexão plantar;
– Oblíquo inferior;
– Interósseo –> mais forte

Arco de movimento: 20º de dorsi-flexão (extensão) a 45º de flexão plantar. Arco funcional para marcha: 10º de dorsiflexão a 20º de flexão plantar

Face Medial: Poção profunda – Face lateral maléolo medial / corpo do tálus; Porção Superficial – Tíbio-navicular; Talotibial anterior – tenso em flexão plantar; Calcâneo-tibial; Talotibial posterior – Tenso em dorsiflexão

Face Lateral: LFTA – Tenso em flexão plantar: Posteriormente à borda anterior do maléolo lateral e anteriormente ao colo do tálus; LCF – Tenso em flexão plantar: Superiormente ao ápice inferior do maléolo lateral e inferiormente à superfície lateral do calcâneo – extracapsular; LTFP – Tenso em dorsiflexão: Anteriormente à fossa fibular e posteriormente ao tubérculo posterior lateral do tálus

Mecanismo de trauma:

Patologia traumática mais freqüente na prática esportiva e na população em geral; Mecanismo mais comum é a torção em inversão e flexão plantar; 1:10.000 por dia; 21% de todas as lesões esportivas (futebol 31%); 27.000 entorses/dia nos EUA; 85% são lesões laterais; Lesão da sindesmose ocorre em 5% dos entorses; 7 – 10 % dos atendimentos em PS de trauma; 40% dos entorses apresentará sintomas residuais: Dor e instabilidade devido tratamento inadequado.

Lesão do complexo lateral é mais freqüente: Lesão do LFTA -> 60-70%; Lesão do LFTA + LFC -> 20%; Demais lesões -> 10% (Tíbio-fibulares, complexo medial, LFC); Lesão isolada do LD é rara (mais comum c/ fratura);

Lesões associadas:
– Fratura avulsão: calcâneo, tálus, maléolos e base do 5º MTT;
– Fratura de Maison-Neuve;
_ Neuropraxia do nervo fibular superficial e profundo;
– Fratura osteocondral do tálus;
– Lesão ou subluxação dos tendões fibulares

Indicações de reconstrução:

Agudo – Atleta de alta demanda;

Crônico: Lateral: Instabilidade funcional após tratamento conservador (técnica de brostom – anatômica); Medial: SEMPRE; Sindesmose: SEMPRE

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close