Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: Luxação de quadril

– A articulação do quadril é muito estável, requerendo trauma de alta energia para luxar;
– Frequentemente acompanhada de lesões associadas (95%);
– Prognóstico depende de muitas variáveis: dano à cartilagem no impacto, lesão do suprimento sanguíneo da cabeça femoral,tempo até obter a redução; Luxação posterior 9:1 anterior.

Mecanismo de Trauma:
– Flexão, adução e rotação interna = luxação posterior pura;
– Flexão parcial, pouca adução e rotação interna = luxação posterior com fratura;
– Hiperabdução e extensão = luxação anterior.

Exame clínico:
– Luxação posterior = membro fletido, aduzido e rodado internamente;
– Luxação anterior = membro rodado externamente;

RX: Inicialmente, basta um AP de bacia;
TC é importante para o planejamento operatório quando necessário.

CLASSIFICAÇÃO:
Luxação posterior (Classificação Thompson e Epstein):
Tipo I: sem fratura ou com pequenos fragmentos do rebordo posterior
Tipo II: luxação com fragmento grande e único do rebordo posterior
Tipo III: luxação com fratura cominutiva da parede posterior, com ou sem fragmento maior
Tipo IV: Com fratura do teto do acetábulo
Tipo V: Com fratura da cabeça femoral
Pipkin (Epstein V): Tipo I: caudal a fóvea / Tipo II: cefálica a fóvea / Tipo III: associada a fratura do colo / Tipo IV: associada a fratura de acetábulo

MANOBRAS REDUÇÃO: Allis: Decúbito dorsal / Stimson: Decúbito ventral

TTO CONSERVADOR: Sem fratura associada e com redução congruente; Fratura da parede posterior clinicamente estável e com redução congruente; Pipkin tipo I com articulação congruente; Pipkin tipo II com redução anatômica e articulação congruente.

REDUÇÃO ABERTA: Luxação irredutível; Lesão iatrogênica do ciático; Redução incongruente com fragmentos encarcerados; Interposição de tecidos moles (anterior: reto femoral, cápsula, labrum e psoas; Posterior: piriforme, cápsula, glúteo máximo, ligamento ileofemoral e labrum); Redução incongruente com Pipkin tipo I.

Acesso Anterior: Luxação anterior ou uma fratura da cabeça que será fixada. Maior incidência de ossificação heterotópica.

Acesso Poterior: Luxações posteriores irredutíveis, fratura da parede posterior, redução não concêntrica com interposição de estruturas posteriores.

COMPLICAÇÕES: Necrose avascular; Artrose; Lesão neurológica; Ossificação heterotópica; Reluxação

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close