Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: osteoartrose de quadril

Epidemiologia:
Doenças articulares degenerativas são mais comuns em mulheres, mas acometem todos os grupos étnicos e ambos os sexos;
Mais freqüente em idosos (>prevalência);
Reduz qualidade de vida;
Causa significativo impacto econômico e social sobre os indivíduos e sistema de saúde;

Fisiopatologia:
Ocorre degeneração da cartilagem articular manifestada por fibrilação, fissuras e erosões;
Mudanças bioquímicas nas proteoglicanas cartilagíneas, que resultam em processos catabólicos e anabólicos no seu metabolismo; diminuição progressiva da quantidade de sulfato de condroitina (-4 e -6) conforme progride a artrose;
No plano CORONAL, o ângulo de inclinação do colo femoral (cérvico-diafisário) é de ~125º, sendo maior em longilíneos; >140º = coxa valga; <110º = coxa vara; No plano SAGITAL, o ângulo de anteversão é de ~15º (de 10º a 30º);

Biomecânica articular:
Quando os abdutores estão fracos, o centro de gravidade fica deslocado lateralmente em direção ao quadril afetado, diminuindo o comprimento do braço de alavanca do peso corporal e diminuindo a carga sobre o quadril afetado (marcha tipo Duchene); O braço de alavanca pode ficar encurtado na seqüela da doença de Perthes, pioartrite e osteonecrose; Também fica encurtado quando o trocânter está localizado posteriormente, nas deformidades rotacionais externas, como na seqüela de epifisiólise;

Exame físico:
Marcha:Claudicante com MI afetado em RE e eventual flexão com encurtamento variável;
Mobilidade normal: Flexão: 120º – 130º; Extensão: 20º – 30º; Abdução: 40º – 50º; Adução: 20º – 40º; RE: 45º – 50º; RI: 25º – 45º;
Primeiro movimento afetado é a RI; 2º é a RE; 3º abdução; 4º adução; 5º flexão;

Aspectos radiológicos:
Esfericidade da cabeça; Cobertura da cabeça pelo acetábulo normal (profunda ou insuficiente); Espaço articular homogêneo; Ângulo cérvico-diafisário (varo e valgo); Densidade óssea (comparar com lado contralateral): Esclerose, cistos, osteopenia;

Classificação:
Renato Bombelli (mundialmente aceita):
– Etiologia (mecânica / metabólica);
– Morfologia (supero-externa, concêntrica, inferior, infero-interna);
– Reação biológica (atrófica, normotrófica, hipertrófica)
– Amplitude de movimentos (rígido, hipomóvel e móvel)

Tratamento:
Primeira opção: Manejo conservador: reduzir peso, reduzir atividades físicas de impacto (cuidado: sedentarismo é prejudicial!); Visa frear a evolução da doença; Evolução da patologia deve ser esclarecida ao paciente, bem como as opções de tratamento, vantagens, desvantagens, riscos e benefícios, pois decisão final deve ser do paciente;

Artroses secundárias a doenças reumáticas: Geralmente precoces (2ª e 3ª décadas de vida); Altamente dolorosas e incapacitantes; Bilaterais; Não há justificativa para se protelar a cirurgia, que será a Artroplastia total cimentada, dado o quadro ser sempre osteopênico; Quando bem sucedida, traz alívio sintomático em outras articulações bem como melhora do estado emocional dos pacientes;

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close