Prova Oral

Prova de Atitudes

Noções: Instabilidade Crônica de Cotovelo

Luxação do cotovelo: simples ou complexa (associado a fratura)

Redução: Parvin e Meyn & Quigley

Tratamento:

  • do estágio I-IIIa= cotovelo estável em pronação até 30º = Manter imobilização em pronação por 3 semanas; retirar a partir da 1ª semana para fisioterapia assistida (flexo-extensão com antebraço pronado e pronossupinação em 90º);
  • estágio IIIb = se cotovelo estável até 30º com antebraço pronado esta autorizado tratamento conservador igual ao anterior; se instável ou fratura associada que necessita tratamento cirúrgico, realizar operação.

Tratamento cirúrgico: Agudo??? Ainda há controvérsias??? Mas quando for feita, se houver lesão do complexo ligamentar lateral e medial, deve-se primeiro reconstruir o lateral e testar estabilidade, se estável não precisa fazer o complexo medial; Técnicas: reinserção proximal, reconstrução com palmar longo ou fixador externo articulado por 4-6 semanas.

Instabilidade crônica: diagnóstico por testes clínicos e Rx de estresse; RNM com ou sem gadolineo

  • Medial: geralmente assintomático; pode levar a osteofitose no olecrano levando a perda progressiva da extensão, corpos livre e neurite do ulnar. Tratamento: conservador, exceto se falha após 3 meses ou paciente atleta (ginasta), que precisa da hiperextensão e estresse em valgo = reconstrução com palmar longo
  • Póstero-lateral em valgo: aqui não existe tratamento conservador. Pode ter como causa: pós-traumática, degenerativa (artrite reumatóide) ou iatrogênica (pós-operatório de epicondilite lateral); para ocorrer precisa do LCM anterior íntegro (até estágio 3A). Diagnóstico pelo exame clínico + teste Pivot-shift (cuidado, pois o mesmo pode ser negativo no ambulatório devido a dor que gera o teste). Técnica: reconstrução do ligamento colateral radial ulnar com palmar longo
Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close