10 mitos e verdades sobre a condropatia patelar

Compartilhe a informação:

A cartilagem é o tecido que reveste as superfícies internas das articulações, controlando o atrito e amortecendo o impacto durante o movimento. Quando a perda do tecido cartilaginoso supera a sua reposição, falamos em lesão da cartilagem ou condropatia.

A condropatia do joelho pode ser causada por traumas, processos inflamatórios, sobrecarga de peso ou surgir naturalmente, devido ao próprio envelhecimento articular. 

Nesse sentido, vale a pena esclarecer alguns mitos e verdades sobre condropatia do joelho, para que seja possível ajudar quem sofre com o problema a cuidar melhor da saúde articular no dia a dia. 

1 – Condromalácia ou condropatia Patelar só atinge pessoas sedentárias?

Mito! A Síndrome Femoropatelar pode ocorrer em atletas de alto desempenho, que forçam muito os joelhos nos treinos em academias (agachamento, step etc.), e ainda em pessoas que estão bem acima do peso ideal. Esse tipo de dor também é comum em pessoas que passam muitas horas por dia sentadas com os joelhos dobrados na mesma posição.

2- Condropatia é mais comum em mulheres?

Verdade! De fato, as mulheres estão no grupo de risco da Síndrome Femoropatelar. Isto por conta de sua anatomia. Como a pelve é mais larga que a dos homens, geralmente seus joelhos são mais projetados para dentro, formando um X (valgo dos joelhos). Isso altera a dinâmica da articulação femoropatelar e gera uma sobrecarga relevante na região lateral da articulação. Além disso, outros fatores predisponentes como alterações no encaixe da patela com o fêmur são muito mais comuns em mulheres.

3 – A condropatia e a síndrome da dor femoropatelar não são a mesma coisa?

Verdade! A condropatia e a síndrome da dor femoropatelar (erroneamente chamada de condromalácia ou condropatia) não correspondem à mesma patologia. São condições completamente distintas. 

A síndrome femoropatelar, engloba todas as dores ao redor do joelho provocadas por sobrecarga sobre o mecanismo extensor ou desequilíbrios musculares e estruturais. Já a condropatia patelar é a degeneração da cartilagem que pode ser consequência ou não da síndrome femoropatelar, e pode ter outras causas como traumas ou infecções locais, por exemplo.

4 – Uma vez lesionada, a cartilagem articular não regenera?

Mito! Embora ainda seja um tema controverso, estudos baseados no uso das mais recentes inovações em exames de ressonância magnética apontam que é possível constatar a regeneração do tecido cartilaginoso, ainda que mínima, depois de uma lesão.

Os especialistas defendem que a cartilagem cresce e se regenera em uma velocidade muito menor que outras estruturas, pois não é permeada por vasos sanguíneos.

5 – Quem pratica esportes está mais sujeito à condropatia de joelho?

Mito! Na verdade, a prática esportiva atua como um fator de proteção da cartilagem e das demais estruturas que compõem a articulação do joelho, desde que seja feita com respeitando os limites do organismo e com orientação profissional.

Estudos já feitos apontam que o sedentarismo é uma realidade muito mais perigosa para a cartilagem articular tanto no joelho quanto em outras articulações. Sem o estímulo dos exercícios, o tecido cartilaginoso tende a degenerar mais rápido.

6 – Atletas de alto impacto são mais acometidos por Condromalácia ou condropatia?

Verdade! Esportes de impacto, com desaceleração e mudanças de direção constantes, exigem muito da cartilagem patelar. Sendo assim, corredores, jogadores de futebol, vôlei, tênis e basquete estão vulneráveis ao comprometimento da cartilagem que reveste a patela – especialmente quando há desequilíbrio muscular e anatômico dos joelhos. Afastamentos para tratar dor no joelho são muito comuns.

7 – Esportes como o Crossfit lesionam mais cartilagem?

Mito! Tanto o Crossfit, quanto outros esportes, quando praticados dentro dos limites fisiológicos, bem orientados, periodizados e sem exageros, protegem as articulações.

8 – Quem tem Condropatia ou Condromalácia não pode praticar exercícios ?

Mito! Pacientes em tratamento de Condromalácia patelar devem fazer controle de peso e fortalecimento muscular. Esse fortalecimento é muito importante para equilibrar a carga sobre os joelhos. Uma avaliação dos fatores relacionados à sobrecarga – quer sejam anatômicos, quer sejam dos exercícios – é fundamental para uma readequação individualizada das atividades, que pode ser temporária ou definitiva. Na maior parte das vezes, o tratamento adequado possibilita o retorno à atividade física desejada.

9 – Repouso e anti-inflamatórios são as únicas opções de tratamento para condropatia?

Mito! Não podemos subestimar a importância de um repouso inicial durante o tratamento da Síndrome Femoropatelar. O reequilíbrio muscular e a readequação das atividades são muito importantes. Além disso existe a viscossuplementação, infiltração no joelho com ácido hialurônico.

10 – A utilização de colágeno, garra do diabo, Glicosamina, MSN, extrato de abacate dentre outros atuam na regeneração da cartilagem?

Mito! Este é um tema controverso e todos os estudos sérios, sem o patrocínio da indústria farmacêutica, que mostraram que os resultados da utilização desses medicamentos e suplementos alimentares têm resultado semelhante ao placebo no alívio de dor e modificação dos exames de imagem.

Saiba mais sobre a condropatia >


Compartilhe a informação:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *