Ciências Básicas

Coluna

Infantil

Joelho

Mão

Ombro

Tornozelo e Pé

Quadril

Tumores

Discussões Artrite Reumatoide

Questão Artrite Reumatóide 001

Discussão:

Fatores de risco que indicam acometimento mais grave da coluna são: sexo masculino, uso de corticoide, doença de longa duração, fator reumatoide positivo.
Doença inflamatória com proliferação da sinóvia, que provoca destruição da cartilagem, eorsão periarticular, atenuação de ligamentos e tendões.
Afeta duas mulheres para cada homem, de 30 a 50 anos. Instabilidade cervical é mais sério e potencialmente letal; há alteração radiográfica com instabilidade em 19-88%.
Apresentação cervical é muito mais comum. FR: mais velho ao início, sinovite mais ativa, maiores níveis de PCR, doença articular rapidamente progressiva, subluxação precoce.
Instabilidade atlantoaxial: 19-70%; impacção atlantoaxial: 38%; subluxação subaxial: 7-29%.
Dor: 40-88%. Achados neurológicos: 7-58%. Dor axial sintomas mielopáticos, comprometimento da função manual, insuficiência vertebrobasilar.
RX: intervalo atlanto dente posterior 14mm = 97% sensível para paralisia. Considerar descompressão.
Intervalo atlanto dente anterior: normalmente 3-5mm. Se > 10mm = lesão ligamentar.
Impacção atlantoaxial: Linha de McGregor (base do palato duro – cortical óssea externa do occipício). Alterado: ponta do odontoide 4,5mm acima.
Subluxação subaxial: 4mm ou mais de 20% do corpo = significante.
Instabilidade cervical: correlação com atividade apendicular, sexo masculino, fator reumatoide positivo, corticoides.
Subluxações subaxiais são mais sutis e geralmente múltiplas.
Tratamento conservador: objetivo é prevenir lesão neurológica, evitar morte súbita, minimizar dor, maximizar função.
Tratamento cirúrgico: comprometimento neurológico, instabilidade, dor.
Fusão: subluxação atlantoaxial e intervalo posterior de 14mm ou menos, com ao menos 5mm de invaginação basilar, ou diâmetro sagital do canal espinhar 14mm, axial 6mm também.
Se redutível, técnica de arame posterior de Gallies ou Brooks; se não é redutível, técnicas de fixação de magerl (transarticular) ou Harms (fixação de massa lateral de C1-2) + laminectomia de descompressão se necessária.
Impressão basilar: redução com halo e fusão occipitocervical. Se não redutível: descompressão transoral anterior ou posterior que inclua descompressão do forame magno.
Subluxação subaxial: estabilização anterior ou posterior.

Questão Artrite Reumatóide 002

Discussão:
Uso de corticoides, e não de imunobiológicos, é fator de risco.

 

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close