Lesões esportivas mais comuns no tornozelo e pé

Atuar rapidamente após uma lesão esportiva não só é importante para aliviar a dor e o sofrimento, como também ajuda a evitar que surjam complicações a longo prazo, além de acelerar a recuperação do atleta.

Entorse do tornozelo

A entorse do tornozelo é a lesão mais frequente durante a prática esportiva, correspondendo a até 25% das lesões. Eventualmente, acomete também atletas e não atletas durante as atividades comuns, não esportivas.
A maior parte das entorses são lesões leves e se recuperam bem apenas com descanso e aplicação de gelo. No entanto, se o tornozelo estiver muito inchado e doloroso para caminhar, o tratamento tende a ser prolongado e exige cuidados.

As entorses mais graves também podem ser tratadas sem cirurgia, mas exigem cuidados. Infelizmente, não é incomum nestes casos que uma imobilização insuficiente e a reabilitação inadequada deixem a musculatura mais fraca e os ligamentos mais frouxos, aumentando o risco para novos entorses. Entorses de repetição do tornozelo podem levar a problemas a longo prazo, incluindo dor crônica, instabilidade e artrose.

Tendinite de Aquiles | Tendinite Calcâneo

A tendinite de Aquiles, também conhecida como tendinite calcânea ou tendinopatia calcânea, caracteriza-se pela inflamação e degeneração do tendão calcâneo (de Aquiles). 70% das pessoas que desenvolvem o problema são corredores ou praticantes de outros esportes que envolvem a corrida.

Fascite plantar

Fascite plantar é uma das causas mais comuns de dor no calcanhar. Caracteriza-se pela inflamação da fáscia plantar, uma faixa grossa de tecido fibroso que atravessa a planta do pé e conecta o osso do calcanhar aos dedos dos pés.

A principal característica da fascite plantar é uma dor aguda desencadeada pelos primeiros passos da manhã. A dor melhora após certo tempo, mas volta depois de longos períodos em pé, ou ao se levantar depois de ficar muito tempo sentado.

Metatarsalgia

Metatarsalgia é o nome que se dá para as dores que acometem a parte da frente dos pés, no local em que apoiamos o pé ao chão, logo antes dos dedos. O nome significa, ao pé da letra, uma dor sobre os metatarsos, que são os ossos que temos nesta região.

Fraturas por Estresse

Fraturas por estresse ou por fadiga são microfraturas provocadas pela repetição de forças que, isoladamente, não seriam capazes de ocasionar a fratura. Podemos compará-las ao que acontece quando se dobra um clip de metal de forma repetitiva. Ainda que a força feita cada vez que se dobra o clip seja insuficiente para quebrá-lo, o estresse repetitivo levará à fadiga e quebra do material.

A fratura por estresse já foi descrita na maior parte dos ossos. Como regra geral, é mais frequente nas articulações dos membros inferiores, por suportarem o peso do corpo durante exercícios de impacto.

Ainda assim, acontecem eventualmente nos membros superiores de atletas que utilizam muito o apoio do peso sobre os braços, como os ginastas ou jogadores de basebol. Cada esporte apresenta locais anatômicos específicos de maior risco para essas fraturas.

Impacto do tornozelo

O impacto no tornozelo caracteriza-se por uma dor decorrente do aprisionamento de estruturas na parte da frente (impacto anterior) ou na parte de trás do tornozelo (impacto posterior). A obstrução mecânica que provoca o impacto pode ser decorrente da presença de osteófitos (proeminências ósseas / “bico de papagaio”) e / ou aprisionamento de tecidos moles (gordura, cápsula sinovial) devido à inflamação, cicatrizes ou hipermobilidade.

Canelite

A canelite caracteriza-se pela inflamação da membrana que envolve a tíbia (osso da perna). Ela decorre do excesso de forças de tração por parte da musculatura que se prende no local. É um problema comum em corredores, dançarinos e recrutas militares.

Clinicamente conhecida como síndrome do estresse tibial medial, as dores nas canelas costumam ocorrer em atletas que recentemente intensificaram ou mudaram suas rotinas de treinamento. O aumento da atividade sobrecarrega os músculos, tendões e tecido ósseo e a canelite pode ser uma das consequências desta sobrecarga.

Flexor longo do hálux

A tendinite caracteriza-se pela inflamação do tendão flexor longo do hálux, tendão este que tem a função de “puxar” o dedão para baixo. O flexor longo do hálux é primordial para a impulsão do pé na caminhada ou corrida.

Acomete principalmente atletas de esportes que envolvem movimentos repetitivos de corrida, salto ou de subir na ponta do pé.

Corredores de longa distância, jogadores de futebol e ginastas são eventualmente acometidos, mas sem dúvida as bailarinas formam o principal grupo de risco, devido aos exercícios feitos com apoio na ponta dos pés / dos dedos.

Além da população atlética, pessoas que permanecem muito tempo de pé no trabalho, como enfermeiros e recepcionistas, apresentam risco para desenvolverem a tendinite do flexor longo do hálux.

Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Traumatologia e Ortopedia
0
Deixe um comentário ou dúvida sobre o assunto aqui. Não precisa de conta, todos podem escrever.x
()
x

New Report

Close