bossa metacarpiana

Bossa metacarpal

O que significa o termo bossa metacarpiana?

Bossa significa abaulamento, tumefação ou termos correlatos; os tendões que estendem o punho (extensor radial longo e curto do carpo) se inserem na base dos 2° e 3° metacarpos, bem na região central do dorso da mão. Em indivíduos que têm uma demanda funcional excessiva, por prática de esporte ou por motivos profissionais, estes tendões são submetidos á forças de tração de forte intensidade, ocasionando o surgimento de uma metaplasia na inserção do tendão e neo formação óssea, que de tão aparente são confundidas com tumorações císticas; a esta condição se denomina bossa metacarpiana.

A bossa carpo-metacarpiana é um sobrecrescimento ósseo ou caroço na parte de trás do punho (dorso) na base do dedo indicador ou dedo médio, onde eles se juntam (articulam) aos ossos do carpo. 

bossa metacarpiana

Causas

A causa exata é desconhecida. Algumas pessoas desenvolvem uma bossa carpometacarpal após uma lesão traumática ou atividades que envolvem movimentos repetitivos do punho, como esportes de golfe ou raquete.

Classificação

Os styloideum é uma variação anatômica caracterizada por um ossículo acessório localizado no dorso do punho, entre os ossos trapezoide, capitato, segundo e terceiro metacarpais. Quando associada a sintomas, principalmente dor local, caracteriza a síndrome da bossa carpal. A real incidência desta entidade é desconhecida, provavelmente subestimada e muito confundida clinicamente com outras causas de tumor no dorso do carpo.

Bossa carpal pode ser classificada em adquirida (osteófitos), congênita (os styloideum), ou mista, mas as apresentações clínicas parecem ser semelhantes entre os grupos.

Diagnóstico

Na radiografia da mão observa-se a proeminência óssea na região em que foi palpada no exame físico, além de indefinição do espaço articular entre o trapezoide e o capitato.

Estudos tomográficos permitem a análise das relações do ossículo acessório com os ossos adjacentes, e a ressonância magnética é importante para a avaliação da integridade óssea, das ênteses e ligamentos.

Diagnóstico diferencial

Os styloideum é também conhecido como o nono osso do carpo. A principal dificuldade em seu reconhecimento reside na inespecificidade dos sintomas, frequentemente atribuídos a cistos dorsais, já que ambos compartilham localização muito semelhante.

O conhecimento dessa doença e estudos por imagem são fundamentais para o diagnóstico e distinção de seus principais diagnósticos diferenciais (cistos sinoviais, fraturas, osteoartrose, exostoses, neoplasias ósseas e de partes moles).

Sintomas

A bossa geralmente é notada pela primeira vez em adultos jovens entre 20 e 40 anos de idade. Ocorre igualmente em homens e mulheres. Normalmente, a bossa ocorre em um punho, mas pode estar presente em ambos.

Os pacientes notam uma massa firme e imóvel na parte de trás do punho (dorsal) ou da mão. Pode ser indolor ou dolorido. A dor pode ocorrer com o movimento para cima e para baixo do punho. A bossa metacarpal é frequentemente confundido com um cisto ganglionar devido à sua aparência e localização semelhantes. Alguns pacientes podem ter um gânglio que surge da própria bossa.

A dor configura em conjunto com o abaulamento dorsal a principal queixa referida pelo paciente. A dor é sazonal, em determinados períodos torna-se bastante incomoda, em outros simplesmente não surgem. A extensão contra  resistência do punho pode exacerbar os sintomas; não raramente surgem sinais compatíveis com processo inflamatório localizado.

A proximidade da bossa carpal com os tendões extensores radiais do carpo curto e longo pode provocar tenossinovite insercional, agravando os sintomas, principalmente em atletas que realizam esforço repetitivo, mais especificamente a extensão forçada do punho.

Tratamento

O tratamento é eminentemente conservador com uso de splint para repouso do punho, fisioterapia e administração de anti-inflamatórios. Em geral os sintomas cedem com as medidas acima adotadas.

A abordagem de tratamento depende de quanto tempo a bossa esteve presente e que tipos de problemas está causando. Se for indolor, nada mais precisa ser feito. Se é doloroso, você precisa evitar movimentos e tarefas que trazem a dor. Opções de tratamento incluem:

  • Uma tala de punho para imobilizar e descansar o punho
  • Gelo na área dolorosa
  • Analgésicos
  • Injeção de esteróides na bossa
  • Cirurgia

A cirurgia pode ser recomendada se a bossa estiver com dolorosa por um longo período de tempo, se o tratamento não cirúrgico tiver falhado ou se houver um doloroso ressalto dos tendões.

Cirurgia envolve a remoção da bossa. A dor contínua e o inchaço são comuns após a cirurgia, e pode levar de várias semanas a meses para melhorar. Em alguns pacientes, a dor não desaparece completamente e a articulação pode precisar ser fundida, o que é um procedimento cirúrgico separado.

Leia mais:

Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Traumatologia e Ortopedia
0
Deixe um comentário ou dúvida sobre o assunto aqui. Não precisa de conta, todos podem escrever.x
()
x

New Report

Close