reflexos bebe

Reflexos primitivos

Os reflexos primitivos do recém-nascido possuem um padrão muito imaturo de caráter automático e refletem a maturação do sistema nervoso central (SNC), que é quando as estruturas neurológicas mais recentes vão se tornando funcionais à medida em que há o processo de mielinização, arborização e formação de novas sinapses.

               Tais reflexos são considerados fisiológicos nos primeiros meses de vida e desaparecem ou são substituídos por movimentos voluntários (por volta dos seis meses), ou seja, o bebê passa a apresentar respostas controladas corticalmente ao invés de respostas reflexas do tronco encefálico. Sendo assim, tanto a ausência inicial quanto a persistência tardia desses reflexos podem indicar alguma patologia neurológica pelo fato da maturação do SNC não ter sido alcançada por completo, como ocorre na paralisia infantil, ou podem até reaparecer na vida adulta em algumas doenças neurológicas, sobretudo naquelas que acometem o lobo frontal.

               Além disso, é válido ressaltar que a maturação do SNC não só inibe os reflexos primitivos do recém-nascido, mas também permite o desenvolvimento intelectual, sensorial e da atividade reflexa postural de forma integrada, o que torna ainda mais importante o acompanhamento do bebê a fim de constatar a evolução e desenvolvimento esperados.

  • Os reflexos primitivos são respostas automáticas e estereotipadas a um determinado estímulo externo. Estão presentes ao nascimento mas devem ser inibidos ao longo dos primeiros meses, quando surgem os reflexos posturais. Sua presença mostra integridade do sistema nervoso central; entretanto, sua persistência mostra disfunção neurológica.
  • De modo geral, a sucção reflexa e a marcha reflexa desaparecem por volta dos dois meses de vida. Os outros reflexos arcaicos devem desaparecer até no máximo 6 meses de idade, exceto os dois reflexos dos pés.
  • A preensão plantar desaparece aos 9 meses. Já o reflexo cutâneo-plantar é em extensão no primeiro semestre de vida. No segundo semestre pode ser em flexão, indiferente ou em extensão. A partir da aquisição da marcha independente, deve ser sempre em flexão. 
reflexos bebe

Reflexo de Moro 

É desencadeado por queda súbita da cabeça, amparada pela mão do examinador. Observa-se extensão e abdução dos membros superiores seguida por choro.

Sucção Reflexa 

É desencadeado pela estimulação dos lábios. Observa-se sucção vigorosa. Sua ausência é sinal de disfunção neurológica grave.

Reflexo da voracidade

Para avaliar o reflexo da voracidade, que também é chamado de reflexo dos pontos cardeais ou da busca, o examinador deve tocar a região perioral da criança, o que fará com que ela vire a cabeça em direção ao estímulo, abrindo a boca e realizando uma tentativa de sucção com protrusão da língua. Por anteceder a pega correta, esse reflexo é extremamente importante para a amamentação. Ainda assim, espera-se que ele desapareça por volta dos 4 meses de vida.

Reflexo de busca 

É desencadeado por estimulação da face ao redor da boca. Observa-se rotação da cabeça na tentativa de “buscar” o objeto, seguido de sucção reflexa do mesmo.

Reflexo Tônico-Cervical Assimétrico 
(Reflexo tônico-cervical de Magnus e De Kleijn, ou reflexo do esgrimista). 

É desencadeado por rotação da cabeça enquanto a outra mão do examinador estabiliza o tronco do RN. Observa-se extensão do membro superior ipsilateral à rotação e flexão do membro superior contralateral. A resposta dos membros inferiores obedece ao mesmo padrão, mas é mais sutil.

Preensão Palmar 

É desencadeado pela pressão da palma da mão. Observa-se flexão dos dedos. 

Preensão Plantar 

É desencadeado pela pressão da base dos artelhos. Observa-se flexão dos dedos. 

Apoio Plantar

É desencadeado pelo apoio do pé do RN sobre superfície dura, estando este seguro pelas axilas. Observa-se extensão das pernas.

Reflexo cutâneo-plantar

A fim de avaliar o reflexo cutâneo-plantar, o examinador deve estimular a porção lateral do pé da criança, no sentido proximal-distal. Após realizar esse movimento, será observada a extensão do hálux que, apesar de ser um indicativo de lesão neurológica no adulto, é considerado normal na criança até os 18 meses de vida.

Marcha Reflexa

É desencadeado por inclinação do tronco do RN após obtenção do apoio plantar. Observa-se cruzamento das pernas, uma à frente da outra.

Reflexo de engatinhar

Ao colocar o bebê de cabeça para baixo, ele tentará movimentar suas pernas para avançar engatinhando. Será mais facilmente visível se você colocar seus polegares embaixo dos seus pés. Eles o servirão de apoio. Este reflexo desaparecerá aos três meses de vida. 

Reflexo de Galant
(reflexo de encurvamento do tronco)

É desencadeado por estímulo tátil na região dorso lateral. Observa-se encurvamento do tronco ipsilateral ao estímulo. 

Reflexo de colocação (Placing)

É desencadeado por estimulo tátil do dorso do pé estando o bebê seguro pelas axilas. Observa-se elevação do pé como se estivesse subindo um degrau de escada. É o único reflexo primitivo com integração cortical. 

Leia mais sobre doenças ortopédicas na criança >

Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Traumatologia e Ortopedia
0
Deixe um comentário ou dúvida sobre o assunto aqui. Não precisa de conta, todos podem escrever.x
()
x

New Report

Close