Hemangioma intra-ósseo

O hemangioma é lesão benigna dos ossos, constituída por vasos sanguíneos capilares, cavernosos ou venosos neoformados. Foi descrito primeiro, em 1867, por Virchow, que descreveu um hemangioma pulsátil do esterno em lactente de um mês de idade; a primeira descrição radiográfica foi feita por Perman, em 1926.

Os hemangiomas são tumores vasculares de crescimento lento, geralmente solitários.

Sua incidência varia de 11% a 12,5% em autópsias de coluna e constitui aproximadamente 2,3% de todos os tumores espinais.

As localizações mais comuns dos hemangiomas são o crânio e o esqueleto axial. Na coluna, a localização torácica é mais comum nas regiões média e inferior, seguidas da região lombar, ocorrendo mais raramente na região cervical.

A idade média do paciente é de 40 anos, sendo mais freqüente em mulheres, na proporção de 3/2.

São tumores geralmente assintomáticos, descobertos incidentalmente no exame radiográfico. Quando produzem sintomas, estes se apresentam geralmente com dor vaga de início insidioso, podendo evoluir para dor constante e pulsátil, acompanhada de espasmo muscular.

Hemangioma vertebral

Os hemangiomas vertebrais são geralmente assintomáticos e, portanto, são detectados de maneira incidental nas Ressonâncias Magnéticas da coluna vertebral. Nenhum tratamento está indicado nestes casos. No entanto, alguns hemangiomas podem se manifestar clinicamente com dor axial e déficits neurológicos e podem necessitar de cirurgia ou outro tratamento.

Diagnóstico

São lesões ósseas vasculares intraósseas que podem ter extensão extraóssea, sendo a maior parte assintomática. Dessa forma, o diagnóstico de hemangioma na coluna frequentemente ocorre por acaso, por meio de exames de imagem feitos por outros motivos (por exemplo, dor nas costas). Apenas 1% dos pacientes possuem sintomas, que podem ser dor ou déficit neurológicos. 

A ressonância magnética é altamente sensível e específica, demonstrando aumento de sinal nas imagens em T1 e T2 pesado, que correspondem ao componente gorduroso da matriz do tumor. A presença de foco de hipersinal em T1 e marcado hipersinal em T2 com aparência heterogênea é considerada relativamente específica para hemangioma vertebral. Outro método que pode ser usado para diagnóstico é a angiografia, a qual demonstra o tamanho da massa vascular. A biópsia foi realizada em dois casos, nos quais havia dúvidas sobre o diagnóstico.

Tratamento

Os raros casos sintomáticos merecem tratamento, que pode consistir em injeção de cimento ósseo vertebral (vertobroplastia ou cifoplastia para tratamento de fraturas), estabilização cirúrgica, injeção intralesional de álcool ou radioterapia.

Nos casos sintomáticos, quando há apenas dor na coluna e subsídios suficientes para atribuir a dor ao achado de hemangioma vertebral, o tratamento de escolha pode ser a vertebroplastia. Quando há lesão neurológica por compressão das raízes nervosas ou da medula espinhal, a cirurgia deve envolver a descompressão cirúrgica (hemi, laminectomia ou costotransversectomia) e ressecção do hemangioma que estiver protruindo para dentro do canal espinhal e, posterior reconstrução da vértebra acometida por vertebroplastia.

As complicações neurológicas, quando presentes, se devem a extensão epidural do tumor ou a fratura-compressão patológica. Raras vezes, pode se apresentar como escoliose ou cifose, devido a fratura assimétrica.

Saiba mais:

Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Traumatologia e Ortopedia
0
Deixe um comentário ou dúvida sobre o assunto aqui. Não precisa de conta, todos podem escrever.x
()
x

New Report

Close