Outros tumores benignos relacionados com o osso

Tumores de musculatura lisa

Leiomiomas cutâneos: mais comuns
– 2 tipos:
– origem do músculo eretor do pêlo: podem ser múltiplos
– leiomioma genital: geralmente solitários e pouco dolorosos

Leiomiomas vasculares: localizados no subcutâneo e provoca dor

Leiomioma dos tecidos moles profundos: são maiores e devem ser ressecados com margem de seguraça
– Diferencial com leiomiosarcoma

Tumores neurais

– Dos ossos são muito raros, mas neurilemomas já foram descritos
– RX: lesão lítica discreta
– Microscopia: similar ao neurilemoma do tecido mole

Neurofibroma: também pode surgir em osso, especialmente na doença de von Recklinghausen
– Neurofibroma solitário
– – Se origina do endoneuro -> ressecção sem lesão neurológica é difícil
– – Os profundos podem sofrer transformação maligna

Schwannomas
– Ocorre na periferia dos nervos acometidos
– Degeneração maligna é rara
– Pode estar associado a neurofibromatose
– Biópsia: indicada quando de nervo motor
– Se ramo pequeno e perifério: excisão simples
– Schwannoma clássico
– – Adultos, sem predileção por sexo
– – Raramente recidiva
– – Locais: osso, nervos cranianos ou trato gastrointestinal
– – Mais comum no subcutâneo

Tumor vascular

Hemangioma é o tumor vascular mais comum do osso
– Tipos
– Capilar: pequenos com paredes espessas
– Cavernoso: longos com paredes delgadas
– Maioria (2/3) ocorre no corpo vertebral ou crânio
– RX: lesões líticas multilobuladas
– RM: aumento de sinal em T1 e T2
– Cintilografia: aumento de captação em ambas as fases
– Diagnóstico diferencial
– – Coluna: Paget e carcinoma metastático
– Requer tratamento somente quando houver risco de compressão neurológica

Osteólise maciça (doença dos ossos fantasmas) é rara e geralmente acometem crianças e adultos jovens

Angiomatose cística do osso: doença rara que consiste em lesões ósseas difusas e líticas, associada a alterações anigomatosas de vísceras
– Comum nas costelas

Linfangioma
– Distúrbio congênito da circulação linfática – Diagnóstico nos primeiros anos de vida
– Lesão de partes moles: raramente há acometimento ósseo
– RX: similar ao hemangioma
– Diferencial: hemangioma, sarcoma de Ewing, metástase de neuroblastoma e osteoporose
– Tratamento cirúrgico: quando lesões grandes, tratamento conservador é difícil

Linfangiomatose: não há indicação cirúrgica
– Tratamento para prevenção de fraturas e correção de deformidades

Tumor glômico
 2ª-3ª década de vida
 Maior parte dos casos nos tecidos moles dos dedos
 Raramente intra-ósseo
 Quase sempre na falange distal
– Quadro clínico: dor intensa e localizada
– – Dor é diferente do osteoma osteóide
– – – É intensa e contínua: Dor, sensibilidade ao frio e sensibilidade pontual são os sintomas característicos
– – – A pressão direta sobre o tumor por um objeto pequeno e firme causa dor excruciante (teste de Love), ao passo que a pressão aplicada em um lado ligeiramente forte não causa dor. Mergulhando a mão ou dedo envolvido na água gelada também causa desconforto.
– RX: lesão lítica, pequena, central e bem circunscrita, sem reação cortical
– Diferencial: osteoma osteóide
– Tratamento: curetagem
– Degeneração maligna é muito rara

Tumor de gordura

Lipoma intra-ósseo é raro
– Dor ou edema ou ambos
– Lesão radioluscente incidental ao RX – Biópsia é necessária para confirmar o diagnóstico
– Cura por curetagem e enxerto
– Não há recorrência

> Arquivos de Apresentações em ppt

Last updated byMarcioR4
Quanto você gostou deste artigo?0000
Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments