Subluxação e luxação do tendão da cabeça longa do bíceps braquial

Anatomia

– Ombro: motor secundário, participa principalmente da flexão e abdução

Classificação das lesões

Tendinite
– Ruptura
– Luxação

– Lesões isoladas
– Variação da freqüência nos diversos estudos
Tendinite isolada
– Clinicamente: ombro doloroso, na face anterior, com Speed (+)
– Afastar outras lesões com métodos de imagem

Causas

Inflamatória ou mecânica

– Ruptura isolada
– Sinal do Popeye – > 50% têm rupturas associadas do manguito

– Lesões associadas a lesão do manguito rotador

Tendinite: inclusas somente lesões do tendão no seu sulco

Subluxação

– Presença de ruptura parcial das fibras profundas do tendão pelo atrito
– Alterações degenerativas com alargamento do tendão
– Explicações para subluxações atraumáticas
– Rotação interna -> contração do bíceps -> força medial -> desgaste da polia
– Ruptura do supra -> perda da tensão do coracoumeral -> degeneração da polia
– Subluxação superior: lesão do ligamento coracoumeral e glenoumeral superior com perda da polia de reflexão do bíceps antes da entrada no sulco ósseo
– Tendão tem tendência a sair do sulco, passando sobre o tubérculo menor antes de se tornar distalmente centrado novamente no sulco
– Desinserção lateral do subescapular
– Pode ser encontrada abaixo do sulco intertubercular
– Polia ligamentar no ápice do sulco está intacta
– Lesão pode estar na ½ superior do tubérculo menor ou ao longo de todo o seu comprimento
Pseudoartrose do tubérculo menor
– Cabeça longa do bíceps segue o deslocamento medial da tuberosidade menor

Luxação

– Idade média 59 anos
– Maioria traumático (63%)
– Mais comum em homens (80%) e no lado dominante (83%)
– 50% das luxações há pseudoparalisia do ombro
– Inserção umeral comum dos ligamentos glenoumeral e coracoumeral está rompida
– Geralmente há associação de lesão do supra e do infra-espinhoso
– Dois tipos:
– – Sobre o tubérculo menor e subescapular
– – Sob a inserção do tendão subescapular
– Rupturas: maioria associada a lesão do manguito rotador

Avaliação de imagem

– USG
– Artrografia
– Ausência de opacificação do sulco intertubercular: sinal indireto da lesão do tendão
– Ruptura: sulco intertubercular está cheio de líquido de contraste, sem a impressão do tendão
– Luxação: marca alargada do tendão aparece medial ao sulco intertubercular

Tratamento

Conservador
Tendinite e ruptura isolada: conservador: AINH, reabilitação

Cirúrgico
– Tenodese: procedimento mais comum para ruptura, tendinite e instabilidade
– Fixação da cabeça longa no sulco intertubercular
– Lippmann: sutura no tubérculo menor com ponto intra-ósseo, sem ressecção do tendão intra-articular
– Hitchcock: fixam o tendão com um retalho osteofibroso e coberto pelo ligamento umeral transverso
– Froimson: orifício-chave
– Post: fixação com sutura transóssea
– Desbridamento artroscópico: para tendão friável
– Reposicionamento de um tendão luxado
– Tenotomia

Última modificação porMarcioR4
Quanto você gostou deste artigo?0000
Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments