Dor de crescimento é comum

Afeta principalmente as pernas em crianças. Crianças e adolescentes que sofrem de dores musculares, popularmente conhecidas como dores de crescimento. Crescer pode ser dolorido emocionalmente. A síndrome de Peter Pan é conhecida, mas fisicamente nada foi comprovado.

Acomete crianças entre 3 e 12 anos, a dor do crescimento se caracteriza por queixas de dores na perna (coxas, panturrilhas e joelhos) ao cair da noite ou na madrugada ou após atividade física, surgindo sem sinas de inchaço ou vermelhidão.

Embora tais dores musculoesqueléticas sejam muito comuns em crianças e adolescentes e bastante conhecidas pelos médicos, na verdade elas não têm relação com o crescimento.

Características das dores nas pernas de crianças

Na maioria dos casos, a dor tem caráter benigno, ou seja, não representa algo sério. O diagnóstico é feito por meio de exclusão de doenças reumatológicas (artrite, reumatismo) ou ortopédicas (má formação óssea, tumor).

Conheça a doença de Osgood-Schlatter >

Se os pais tiveram a dor quando pequenos, as chances de os filhos passarem pelo transtorno são grandes. Como pode surgir à noite costuma acordar os pequenos. Massagens com movimentos suaves e calor na região aliviam o desconforto. Caso esteja prejudicando o sono e a escola no dia seguinte, pode-se recorrer a analgésicos, ministrados sempre com orientação médica.

Embora não haja estatísticas, a dor do crescimento (principalmente nas pernas) é mais comum do que se pensa. Alguns pais podem achar que se trata de manha das crianças que não querem dormir, mas a sensação de dor é real. Contudo, não irão trazer problemas e melhoram com o amadurecimento do corpo. Crianças com esse tipo de sintoma não devem fazer repouso absoluto por causa da dor, ao contrário, devem fazer exercícios com orientação e moderação.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *