Síndrome patelar dolorosa

Entidade mal conhecida e sem solução definitiva

Não é:
– Dor anterior no joelho
– Síndrome de Hoffa
– Um defeito venoso
– Síndrome secundária por rotação posterolateral da tíbia que leva a hiperpressão patelar
– Alteração da superfície cartilaginosa de revestimento patelar
– Decorrência de plica sinovial, desequilíbrio muscular ou hiperpressão patelar

Alterações do curso patelar: pode determinar forças de cisalhamento transmitidas ao osso subcondral

É divida em 3 grupos: adulto jovem, do adulto após os 30 anos e pós-traumática

Síndrome patelar dolorosa do adulto jovem

– bilateral em 30%
– insidiosa
– 70% no sexo feminino
– dor se intensifica após atividade, agachamento, subir e descer escadas ou permanecer sentado por período prolongado

Exame físico: joelhos normais

– evolução com remissão sem tratamento na maioria
– aumento do ângulo q é freqüente
– causa mais comum é a torção femoral interna
– aumento da frouxidão ligamentar: hipermobilidade da patela aos 30º
– alteração do curso patelar visto pela lateralização da patela nos últimos graus de extensão ativa com a perna em rotação externa

Tratamento: fisioterapia: alongamento de isquiotibiais e tríceps sural

Síndrome patelar dolorosa depois dos 30

– geralmente bilateral
– 60% ocorre nas mulheres
– início preciso e sempre relacionado com a atividade física fora do habitual

Síndrome patelar dolorosa pós-traumática

– traumatismo direto na patela
– dor é o sintoma principal
– instabilidade subjetiva presente mas discreta
– geralmente associado a problemas trabalhistas
– relacionada com flexão e esforços de subir e descer escadas

Evolução:
– cura espontânea

Manutenção dos sintomas que necessita de tratamento
– equilíbrio muscular
– se tratamento inefetivo: considerar realinhamento proximal

Autor: Dr. Márcio Silveira – ortopedista especialista em joelho

Última atualização porMarcioR4

Deixe uma mensagem