Osteoporose transitória do quadril

Etiologia e Epidemiologia

É uma doença rara de etiologia desconhecida, acometendo homens de meia-idade, mulheres no terceiro trimestre de gestação e raramente acomete crianças, adolescentes e mulheres não grávidas.
– Mais comum em homens de meia idade
– Sintomas bilaterais em 1/3
– Ocasionalmente em mulheres, no final da gestação

Quadro clínico

Os sintomas à apresentação da doença são dor no quadril de início súbito e claudicação, inicialmente com radiografias e exames sanguíneos normais.
– Dor progressiva e claudicação com atrofia muscular
– Desmineralização pode não estar aparente até 6º semana
– Outros locais que podem ser acometidos por osteoporose transitória: tornozelo e pé

Exames

Ressonância magnética diferencia pois a OTQ é um processo inflamatório em toda a cabeça femoral acometendo também o colo. Habitualmente unilateral.
– Cintilografia anormal precede a alteração ao RX
– RM: altamente sensível
– – Diferenciar: osteonecrose, osteomielite e neoplasias
– – 3 fases à RNM (Grimm et al):
– – – Difusa: impressão de edema ósseo
– – – Focal: início 2-3 meses após o início dos sintomas
– RX: desmineralização da cabeça e colo femoral
– – Residual: 2-3 meses após o estágio focal
– – Colo femoral com intensidade correspondendo à medula óssea normal

Tratamento

Doença autolimitante, sua evolução para a cura completa entre seis meses e dois anos é causa de muita apreensão e dificuldades, tanto para o paciente como para o médico.
– Tratamento conservador com analgesia


Última atualização porMarcioR4

Deixe uma mensagem