Impacto fêmoro-acetabular

O quadril é uma articulação do tipo bola e soquete, na qual a cabeça do fêmur, esférica, se relaciona com a cavidade da bacia, o acetábulo, que tem a forma côncava. Quando existe qualquer alteração no formato da cabeça ou do acetábulo haverá um impacto entre essas partes, o que irá provocar a destruição da cartilagem articular e a conseqüente artrose.

Labrum

O labrum é uma espécie de moldura que reveste as bordas da cavidade acetabular da bacia e a mantém firmemente articulada à cabeça femoral.

Além disso, ele, juntamente com a cápsula e os ligamentos que a envolvem, fecham hermeticamente a articulação, permitindo que o fluido sinovial circule em seu interior e a lubrifique. Quando há lesão do labrum por traumatismos agudos ou repetitivos, ocorre o extravasamento do líquido com inflamação e liberação de substâncias químicas que irão causar danos à cartilagem articular. A estrutura fibrocartilaginosa do labrum serve de amortecedor para o impacto a que o quadril é submetido durante as atividades físicas e desportivas. Por circundar toda a articulação na parte superior e unindo-se ao ligamento transverso na parte inferior, o labrum é um componente de suma importância, juntamente com o ligamento ílio-femoral anterior, a cápsula articular e as demais estruturas estabilizadoras .

Esportes de impacto, como artes marciais (tae-kwon-do, jiu-jitsu, judô, capoeira), corridas de longa distância ou 100m rasos, tênis, golfe, balé e futebol, quando realizados por pessoa que apresentam uma predisposição anatômica (defeito na formação do quadril) podem vir a sofrer da síndrome do impacto.

Tipos de impacto femoroacetabular

A partir da década de oitenta pesquisas médicas demonstraram que o impacto repetido da articulação coxo-femoral pode provocar uma lesão do labrum e da cartilagem próxima e causar um efeito degenerativo progressivo da junta por alterações bioquímicas.

Os tipos de alterações genéticas que predispõem à síndrome do impacto, dividem-se em dois grupos principais que, em alguns casos, podem até acontecer simultaneamente. São eles o impacto tipo Pincer, mais comum em mulheres, onde existe uma retroversão do acetábulo, que se posiciona virado para trás e não para frente, como deveria ser.

Já nos homens a síndrome do impacto costuma ter como causa um defeito na conformação da cabeça femoral que, em vez de esférica , apresenta-se mais ovalada, tipo CAM. Quando o paciente realiza um movimento combinado de flexão (dobrar) do quadril, adução (juntar as coxas) e rotação interna, ocorre um contato brusco entre a parte defeituosa da cabeça e o labrum. A repetição desse movimento acaba por provocar uma lesão no quadril, caracterizada por dor e dificuldade de movimentos.

O tipo misto é o mais comum.

Diagnóstico

Clinicamente há dor na articulação do quadril, na virilha e face interna da coxa, que pode se estender até o joelho. Muitas vezes a síndrome do impacto é confundida com uma distensão muscular.

Manobras clínicas realizadas pelo especialista em quadril podem levar ao diagnóstico, como o chamado Teste Faduri, formado pelas iniciais de flexão, adução e rotação interna. Esses movimentos, quando realizados simultaneamente, provocam dor, por causa do impacto da cabeça do fêmur com a porção antero-superior do labrum.

FADURI

O diagnóstico por imagem é obtido com a realização das assim chamadas radiografias em AP (ântero-posterior) verdadeiro, onde se procura identificar alterações no formato da cabeça femoral e o sinal do cross-over, característico da retroversão acetabular. As incidências em perfil de Lequesne e Ducroquet são utilizadas na busca de alterações no formato da cabeça.

O diagnóstico da lesão do labrum, muitas vezes, requer a realização de exame de ressonância magnética com a injeção de contraste na articulação.

Tratamento

Uma vez diagnosticada a lesão do labrum, a cirurgia estará indicada para aqueles pacientes que estão com dor e necessitam retornar às atividades esportivas ou profissionais.

Uma lesão aguda pode ser tratada sem operar desde que seguida de repouso, uso de muleta e observação por seis meses. Ao final desse prazo e se ainda houver dor poderá ser indicada uma cirurgia artroscópica do quadril. Esse moderno procedimento vem permitindo o tratamento de muitas lesões do quadril sem a necessidade de grandes incisões ou cirurgias demoradas.

A retroversão acetabular e a síndrome do tipo Pincer ou Cam, quando dignosticadas em pessoas que praticam atividades de impacto, também têm indicação operatória. É feita uma remoção cirúrgica das deformidades que provocavam o impacto. Essa retirada pode ser feita por artroscopia ou por cirurgia aberta, dependendo do tipo e localização da lesão.

> Arquivos de Apresentações em ppt
> Arquivos de Resumos em pdf

Last updated byMarcioR4
Quanto você gostou deste artigo?0000
Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments