Fratura de úmero distal em crianças

– Não deve ser confundida com supracondiliana
– Diáfise distal é mais triangular e com periósteo mais fino do que na supracondiliana
– Mais instável
– Osso cortical cicatriza mais lentamente do que o metafisário

Anatomia

– Ancôneo, massa flexora pronadora originam-se no epicôndilo
– posição do antebraço interfere com a posição da fratura
– Risco de lesão da artéria braquial

Mecanismo de trauma

Geralmente por traumatismo direto e torção

Tratamento

Conservador: possível. Não necessita de flexão grande do cotovelo
– Tendência a consolidação viciosa em varo
– Redução deve ser feita com pronação ou supinação do antebraço, avaliado por radioscopia

Cirúrgico: fraturas instáveis como na supracondiliana


Última atualização porMarcioR4

Deixe uma mensagem