Exame físico do tornozelo

Avaliar posição relativa dos maléolos (maléolo lateral é mais posterior e mais inferior)

Amplitude de movimento: avaliada segurando o retropé e o antepé
– Flexão plantar: 45º
– Flexão dorsal: 25º
– – Se flexão dorsal limitada: testar com extensão e flexão do joelho
– – Na flexão do joelho: relaxamento do gastrocnêmio
– – Se persistir deformidade: encurtamento do solear

Palpação tendínea: tibial posterior, tibial anterior, flexor longo do hálux, fibulares, aquiles
– Face medial: palpação do deltóide
– Face lateral: ligamentos fibulotalar anterior, posterior e fibulocalcâneo

Complexo subtalar

Amplitude de movimento: inversão e eversão (supinação e pronação)
– 20º de inversão e 10º de eversão

– Dor subtalar: geralmente na região anterior e inferior do maléolo lateral (seio do tarso)

Complexo da articulação de Chopart

Adução e abdução, além da pronação e supinação
– Observar a convexidade da borda interna do pé: reflete o varismo e o valgismo do retropé
– Observar movimentos de adução e abdução

Complexo articular de Lisfranc

– Observar flexão plantar e dorsal
– Presença de osteofitose dorsal e dolorimento
– Amplitude normal: 15º supinação, 25º pronação do antepé em relação ao mediopé e retropé

Articulações metatarsofalângicas

– Amplitude de movimento: dorsiflexão de 80º e flexão plantar de 30º
– Palpar cabeça metatarsal dorsal e volarmente
– Identificar calosidades plantares
– Espessura do coxim gorduroso

Musculatura

Extrínseca

Extensores:

– Nervo fibular profundo: tibial anterior, extensor longo do hálux, extensor longo dos dedos
– Nervo fibular superficial: fibular terceiro

Flexores:

– Nervo tibial: tríceps sural, flexor longo do hálux, flexor longo dos dedos, tibial posterior, plantar delgado
– Nervo fibular superficial: fibular curto e longo

– Inversores: tibial anterior e tibial posterior

– Eversores: fibular curto, longo e fibular terceiro

Intrínseca

– Nervo tibial:
– Abdutor do hálux, adutor do hálux, flexor curto do hálux, flexor curto dos dedos
– Quadrado plantar: potencializa o flexor curto dos dedos
– Lumbricais: flexão das MTT-F e extensão das interfalângicas
– Interósseos dorsais: abdução dos 3 dedos centrais
– Interósseos plantares: abdução dos 3 dedos laterais
– Abdutor do 5º dedo e flexor curto do 5º dedo

– Nervo fibular superficial: extensor curto dos dedos

Manobras e testes especiais

Teste de Thompson: avalia integridade do tendão tricipital
– DVH com compressão da panturrilha – (+): ausência de flexão plantar

Teste da gaveta anterior do tornozelo
– Teste do ligamento fibulotalar anterior e porção anterolateral da cápsula
– Examinador apoia uma das mãos sobre a face anterior da tíbia e outra envolve o calcanhar
– Força para deslocar anteriormente a tibiotalar: (+) deslocamento anterior

Teste do estresse em varo do tornozelo
– Teste de integridade do ligamento fibulocalcâneo e cápsula lateral
– Força varizante na região do calcanhar com fixação da perna distal: (+) varismo exagerado

Teste do estresse em valgo do tornozelo
– Testa integridade do ligamento deltóide: positividade difícil de ser comprovada

Teste da rotação do tálus
– Investigar integridade da sindesmose tibiofibular distal
– Fixa-se o 1/3 médio da perna e rotação externa do pé, segurando pelo calcâneo
– Testa inicialmente o ligamento tibiofibular anterior:
– (+) dor aguda na região anterolateral do tornozelo

Teste da gaveta posterior da fíbula: segura firme o tnz e com o polegar força posteriorização da fíbula. Avalia integridade da sindesmose

Teste de Pillings – compressão lateral da perna
– Testa ligamentos da sindesmose e articulação tibiofibular distal
– Comprime-se firmemente a tíbia contra a fíbula no 1/3 médio da perna

Teste da mobilidade da articulação subtalar
– Uma das mãos mantem a relação entre o médio pé e o antepé com o retropé
– Outra mão aplica forças varizantes e valgizantes no calcanhar

Manobra da hiperextensão do tornozelo e dos artelhos
– Para distender a fáscia plantar tornando-a mais superficial e palpável

Manobra da ponta dos pés
– Avalia mobilidade subtalar, potência muscular e integridade de tendões como o aquileu e tibial posterior

Prova de Jack: hiperextensão passiva do hálux
– Promove elevação do arco longitudinal medial
– (+): integração entre as musculturas intrínseca e extrínseca do pé e mobilidade subtalar
– Se pé plano valgo com teste (+): bom prognóstico de resolução

Teste da rotação externa passiva da perna
– Determina a amplitude da subtalar e sua integração com a mediotársica e tarsometatársica
– Doente em posição ortostática e apoio bipodálico
– Examinador segura o 1/3 médio da perna e faz rotação externa do corpo
– (+): surgimento ou acentuação da abóbada plantar do pé

> Arquivos de Apresentações em ppt


Última atualização porMarcioR4

Deixe uma mensagem