Dissociação escapulotorácia

O que é e mecanismo de trauma

Deslocamento lateral fechado e violento da escápula, associado à fratura da clavícula e à grave lesão dos tecidos moles.
Lesão rara, potencialmente fatal.
Mecanismo é uma tração violenta mais uma força rotacional, em geral como resultado de acidente com veículo motorizado ou motocicleta.
Lesão neurovascular é comum: (plexopatia braquial completa – 80%; parcial – 15%; artéria subclávia ou axilar – 88%).

Anatomia

Complexo Suspensório Superior do Ombro (CSSO)

Conecta o Membro Superior ao tórax, consiste em um anel ósseoligamentar: glenóide, processo coracóide, ligamentos coracoclaviculares, clavícula distal, articulação acromioclavicular e o acrômio.
Ligamento coracoacromial: importante estabilizador da glenóide nas fraturas do colo.
Outro exemplo é o ombro flutuante, que é a resposta de uma fratura do colo da escápula que perde sua fixação ao fragmento proximal e o esqueleto axial via clavícula, ou seja, há ruptura do CSSO.

Diagnóstico

Edema maciço na região do ombro, ausência de pulso no braço, déficit neurológico parcial ou completo, desvio lateral da escápula em um RX tórax sem rotação.

Classificação

I: apenas lesão musculoesquelética;
IIA: lesão musculoesquelética com ruptura vascular;
IIB: lesão musculoesquelética com lesão neurológica;
III: lesão msculoesquelética com lesão tanto neurológica quanto vascular.

Tratamento

ABCDE.
Angiografia.
Estabilização das lesões ósseas ou articulares associadas.
Neurológico: ENMG com 3 semanas. Mielografia ou RM com 6 semanas.
Avulsão de raízes nervosas – péssimo prognóstico.
Lesões parciais no plexo apresentam bom prognóstico e frequentemente se restabelece o uso funcional do membro.
Ósseo: lesão grave do plexo – considerar amputação acima do cotovelo.
Se mielografia cervical revelar 3 ou mais pseudomeningoceles – prognostico ruim.

Complicações

Membro flácido – 52%;
amputação precoce – 21%;
morte – 10%.


Última atualização porMarcioR4

Deixe uma mensagem