Capsulite adesiva

Definição

– cápsula articular espessa e contraída, tensionada e relativa ausência de líquido sinovial (líquido sinovial é normal), com alterações inflamatórias crônicas na camada subsinovial da cápsula, por isso é chamado de ombro congelado.
– síndrome com redução da amplitude de movimento (ADM) ativa e passiva; articulação contraída, espessada com alterações inflamatórias
– autolimitada durando 12-18 meses

Epidemiologia

– 2% da população
– mulher
– 40 a 70 anos (= Dupuytren)
– ombro não dominante (mas ombro dominante tem melhor prognóstico)
– Fatores de Risco: período imobilidade (principal), Diabetes Mellitus (5x mais – 10-20% terão capsulite adesiva), discopatia cervical, hipertiroidismo, distúrbios intra-torácicos, traumatismo
– Ombro congelado:
• Primário (28%): melhor prognóstico
• Secundário (72%)

Quadro Clínico e Exame Físico

– inicialmente perde a rotação medial (RM), depois flexão, rotação lateral (RL) e abdução.

Primário (“DER”)

Neviaser, fases:
– 1ª fase – DOR: dor difusa, gradual, piora à noite; redução do uso do ombro; dura 2-9 meses.
– 2ª fase – ENRIJECIMENTO: o paciente restringe o movimento para aliviar a dor; dura 4-12 meses; Progressão da rigidez, dolorimento presente todo o tempo, com dor fina durante o movimento . Dificuldade para atividades de vida diária (AVDs).
– 3ª fase – RELAXAMENTO (descongelamento): a dor diminui, o movimento retorna gradualmente e o paciente se adapta; dura 6-12 meses.

fases da capsulite adesiva
Fases da capsulite adesiva

Secundário

– O paciente se lembra de evento precipitante.

Critérios diagnósticos

Não há critério diagnóstico estabelecido
– Rotação externa < 30º
– Abdução combinada < 120º
– Elevação anterior < 130º
Primária: raramente recorre no mesmo ombro
– Ombro colateral é acometido em 20%
Secundário: critérios de exclusão para a forma pura
– Artrite, fraturas, luxação, espondilose cervical, doença neuromuscular e dor referida
– Doenças intrínsecas do ombro

diagnóstico da capsulite adesiva
Diagnóstico da capsulite adesiva

Imagem

– Radiografia (Rx) é normal.
– artrografia: volume inferior a 10 ml e não preenchimento da prega axilar
– Ressonância magnética (RM): espessamento do ligamento coracoumeral
– Cintilografia: geralmente aumento de captação
*cintilografia positiva tem valor preditivo positivo (VPP) para corticoesteróides

Classificação

Classificação ou Estágios de Neviaser:
– Estágio I: sinovite vermelha leve
– Estágio II: sinovite aguda com aderências
– Estágio III: aderências maduras
– Estágio IV: aderências crônicas

Tratamento

Prognóstico: doença auto limitada com duração de 12-18 meses, sem seqüelas graves em 90%
– 70% perdem algum movimento do ombro
– Destes, somente 10-15% tem perda com alguma limitação funcional

Tratamento da capsulite adesiva
Tratamento da capsulite adesiva

Tratamento conservador

É o mais indicado com TENS, US, exercícios passivos e ativos de amplitude de movimento.
Prevenção da secundária, tratando o ombro doloroso associado com bloqueio supra-escapular.
– Tratamento inicial: controle da dor e inflamação com AINH
– Fisioterapia:
– – Alongamento (elevação frontal, rotação externa e rotação interna)
– – Fortalecimento

Tratamento operatório

Se o paciente solicita intervenção do médico, pode ser realizada:
– Manipulação fechada: anestesia geral + bloqueio interescaleno e manobra FEAR (flexão-extensão-abdução-adução-RE-RI; faz-se Rx pós-operatório).
– Liberação artroscópica: em torno de toda a circunferência da articulação incluindo ligamento glenoumeral médio (LGM) e ligamento glenoumeral inferior (LGI), liberando até 1 cm do lábio na cápsula inferior.
Pós-operatório: fisioterapia no dia seguinte, seguido de manipulações diárias por 2-4 semanas. Se necessário: órtese noturna em abdução por 3 semanas.

Complicações

– 10% tem problemas a longo prazo.
– Fratura (Fx) durante manipulação, por isso evitar em osteopênicos.
– Luxação.

> Arquivos de Apresentações em ppt


Última atualização porMarcioR4

Deixe uma mensagem