Anatomia neurológica da pelve

Plexo Lombar

O plexo lombar distribui-se primordialmente para a coxa, exceto pela distribuição cutânea do ramo safeno do nervo femoral. O plexo pode ser dividido em ramos dorsais e ventrais, sendo os dorsais o nervo femoral que inerva as estruturas anteriores das coxas e o nervo cutâneo femoral lateral. O principal ramo ventral do plexo lombar é o nervo obturatório

Plexo Sacral

O plexo sacral é mais largo que o lombar, tem ramos maiores e se distribui até as áreas mais caudais dos membros inferiores. O plexo também se divide em ramos dorsais e ventrais. Os ramos dorsais do plexo sacral incluem a maioria dos nervos para as nádegas e a parte fibular comum do nervo isquiático.

Nervos

O nervo tibial, o maior ramo anterior ou ventral do plexo sacral, distribui-se em seguida até os músculos das coxas, tendo origem medial.

Os nervos ilioipogástrico e ilioinguinal emergem do músculo psoas e avançam distal e lateralmente.

O nervo ilioipogástrico, inerva uma parte da região póstero-lateral das nádegas e, distalmente, a pele localizada pouco acima da sínfise púbica.

O nervo ilioinguinal inerva a pele da raiz do pênis e o escroto masculino e o monte pubiano e os grandes lábios, nas mulheres adultas.

O nervo genitofemoral emerge da superfície anterior do psoas, dividindo-se em um ramo genital, que atravessa o canal inguinal e chega até a pele do escroto ou aos grandes lábios, e em um ramo femoral, que acompanha a artéria ilíaca externa e acaba distribuindo-se pela superfície anterior das coxas.

O nervo femoral também deriva dos ramos posteriores do plexo lombar e emerge da borda lateral do músculo psoas, avançando em seguida distalmente em um sulco localizado entre o músculo psoas e o ilíaco, fornecendo ramos motores para o ilíaco e saindo da pelve por baixo do ligamento inguinal.

O nervo obturatório origina-se das divisões anteriores do plexo lombar, emerge do lado medial do psoas (pouco acima da borda da pelve) e avança para baixo entre o psoas e a coluna vertebral. Depois que entra na pelve, ele acompanha lateralmente a parede pélvica, ao lado dos vasos ilíacos internos e do ureter, e ao longo da superfície superior do músculo obturador interno, chegando ao canal obturado, por onde sai da pelve.

Trajeto dos plexos lombar e sacral

A parte lombar do plexo lombossacral é anatomicamente uma estrutura abdominal, ao passo que o plexo sacral é realmente uma estrutura pélvica, localizada anterior e lateralmente em relação ao sacro.

A denominação dos nervos do plexo lombossacral mantém uma relação relativamente constante com o restante do conteúdo do anel pélvico.

A região sacral do plexo lombossacral forma-se na concavidade do anel pélvico. Neste ponto, o tronco lombossacral direcionado para o interior da pelve une-se aos ramos ventrais das três primeiras raízes nervosas sacrais, orientadas lateralmente a partir dos forames sacrais, formando assim o plexo sacral sobre a superfície anterior do músculo piriforme.

Os ramos do plexo passam através do forame isquiático maior com o nervo glúteo superior passando por cima do músculo piriforme e o restante do plexo passando por baixo do mesmo.

Pelo Forame isquiático menor passam o nervo pudendo, vasos pudendo internos e tendão do músculo obturatório interno.

Deficiências típicas de lesões

• Lesão neurológica
– Raiz de L5 – perda da extensão do hálux e dorsiflexão do pé
– Raiz de S1 – perda da flexão plantar do pé
• Dor neuropática crônica


Última atualização porMarcioR4

Deixe uma mensagem