Sabe o que são as fraturas maleolares do tornozelo?

Quando falamos de fraturas do tornozelo, falamos de fraturas maleolares. Podemos ter fraturas unimaleolares, bimaleolares e trimaleolares. Quando mais fratura, mais instável.

Um tornozelo fraturado pode variar de uma simples fissura em um osso, que não pode impedi-lo de ficar pé e pisar com dor a uma fratura luxação com saída do tornozelo do lugar. 

Quais as causas da fratura do tornozelo

  • “Torcer” ou girar o tornozelo  
  • Contusão durante o futebol ou outro esporte
  • Tropeçar ou cair
  • Impacto durante um acidente de carro
  • Uma vez que existe uma variedade tão grande de lesões, há também uma ampla gama de pessoas como curar após a sua lesão.
, Sabe o que são as fraturas maleolares do tornozelo?, Ortopedista Especialista em Tornozelo e Pé - DF

Quais os  sintomas da fratura de tornozelo?  

Uma grave entorse de tornozelo pode provocar os mesmos sintomas de um tornozelo quebrado, cada lesão no tornozelo deve ser avaliada por um médico. As queixas mais comuns de um tornozelo quebrado incluem:

  • Dor imediata e severa
  • Inchaço
  • Hematomas ( surgem no dia seguinte )
  • Sensível ao toque
  • Não pode colocar qualquer peso sobre o pé lesionado
  • Deformidade (“fora de lugar”), particularmente se a articulação do tornozelo é muito deslocado

Como é feito o diagnóstico? 

Além de um exame físico, os exames de raios-X são a forma mais comum para avaliar uma lesão no tornozelo. Raios-X podem ser tomados da perna, tornozelo e pé para ter certeza de que nada mais está lesionado.

Dependendo do tipo de fratura no tornozelo, o ortopedista pode exercer pressão sobre o tornozelo e realizar de raios-X especial, chamado de “teste de estresse.” Este raios-X é feito para ver se certas fraturas do tornozelo requerem cirurgia. Algumas fraturas de tornozelo provocam fratura alta da fíbula próxima ao joelho e pode ser necessário uma radiografia de joelho para avaliar as dissociações tíbio-fibular distal (fratura de Maisonneuve). Às vezes, uma tomografia computadorizada (TC) é feito para melhor avaliar as lesões no tornozelo. Para algumas fraturas de tornozelo, ressonância magnética (RM) pode ser feito para avaliar os ligamentos do tornozelo.

Tratamento: fratura do maléolo lateral

A fratura do maléolo lateral é uma fratura da fíbula. Há diferentes níveis em que que a fíbula pode ser fraturado. O nível da fratura pode dirigir o tratamento.

Tratamento não-cirúrgico

Se a fratura não está fora de lugar ou apenas pouco fora do lugar e do tornozelo é estável, o tratamento pode não precisar de cirurgia.

Vários métodos diferentes são usados para proteger a fratura, que vão desde um tênis de cano alto  a um gesso na perna. O tratamento pode também basear-se em que osso está quebrado.

A radiografia de  “stress” pode ser feito para ver se o tornozelo é estável. O paciente terá que consultar o ortopedista regularmente para repetir a radiografia do tornozelo para certificar-se que os fragmentos da fratura não se moveram para fora do lugar durante o processo de cicatrização.

Tratamento cirúrgico  

Se a fratura estiver fora do lugar ou quando o tornozelo for instável, a fratura pode ser tratada com cirurgia. A cirurgia consiste em reduzir ( colocar os ossos no lugar) e fixar a fratura com uma placa e parafusos no lado lateral ou um parafuso ou haste no interior do osso do lado medial.

Tratamento: fratura do maléolo medial  

As fraturas podem ocorrer em diferentes níveis de maléolo medial.
Fraturas do maléolo Medial são, por vezes isoladas, mas muitas vezes ocorrem com uma fratura da fíbula, maléolo posterior ou uma lesão nos ligamentos do tornozelo.

Tratamento não-cirúrgico  

Se a fratura não esta fora do lugar ou é uma fratura muito baixa, com fragmentos muito pequenos, a fratura pode ser tratada sem cirurgia. A fratura pode ser tratado com um gesso de perna Normalmente, é preciso evitar colocar peso sobre a perna por aproximadamente 6 semanas.
O paciente terá que consultar o ortopedista regularmente para repetir o raio-X para certificar-se de que a fratura não muda de posição.

Tratamento cirúrgico

Se a fratura estiver fora do lugar ou do tornozelo estiver “instável”, a cirurgia pode ser oferecida.

Ocasionalmente, a cirurgia pode ser considerada mesmo se a fratura não está fora de lugar. Isto é feito para diminuir o risco da fratura não curar (não união – pseudartrose) e para  permitir começar a mover o tornozelo rapidamente.

Às vezes, a fratura pode sofrer “impactação” da articulação do tornozelo. Isto pode exigir enxerto ósseo para reparar a fratura a fim de diminuir qualquer risco de desenvolver mais tarde artrose.
Diferentes técnicas para a cirurgia podem ser usadas. Parafusos, uma placa e parafusos ou técnicas de fixação diferentes podem ser usados, dependendo da fratura.

Tratamento: fratura do maléolo posterior

A fratura do maléolo posterior é uma fratura da parte de trás da tíbia “osso da canela” ao nível da articulação do tornozelo. Isso geralmente não é uma lesão isolada. Muitas vezes, o maléolo lateral é também fraturado, pois compartilha anexos ligamento com o maléolo posterior. Também pode haver uma fratura do maléolo medial.

Dependendo de quão grande é a parte quebrada, a parte de trás do tornozelo pode ser instável. Alguns estudos mostraram que, se o fragmento é maior do que 25% da articulação do tornozelo, o tornozelo torna-se instável e deve ser tratado com a cirurgia.

A fratura do maléolo posterior é importante porque essa região é coberta por cartilagem. A cartilagem é a superfície lisa que reveste a articulação. Se fragmento quebrado é maior do que cerca de 25% do tornozelo e está fora do lugar mais de 2 mm milímetros, a superfície da cartilagem não irá curar adequadamente e da superfície fica com uma depressão. Esta superfície irregular tipicamente conduz a pressão aumentada e irregular na superfície articular, o que leva a lesão da cartilagem e do desenvolvimento de artrose.

Tratamento não-cirúrgico 

Se a fratura não está fora lugar e do tornozelo está estável, a fratura em alguns casos pode ser tratada sem cirurgia. O tratamento pode ser feito com um gesso na perna ou em alguns casos uma imobilização removível Os pacientes são normalmente aconselhadas a não colocar qualquer peso sobre o tornozelo durante algumas semanas.

Tratamento cirúrgico 

Se a fratura estiver fora do lugar ou se o tornozelo for instável instável, a cirurgia pode ser uma opção. Diferentes opções cirúrgicas disponíveis para o tratamento das fraturas maleolares. Uma opção é colocar parafusos a partir da frente do tornozelo para o para a região posterior, ou vice-versa. Outra opção colocar uma placa e parafusos ao longo da parte de trás da tíbia.

Tratamento: Fraturas Bimaleolar 

“Bi” significa dois. “Bimaleolar” significa que dois “maléolos” do tornozelo foram quebrados. Uma fratura bimaleolar mais comumente significa que o maléolo lateral e o maléolo medial foram quebrados e o tornozelo não é estável. Uma fratura equivalente a bimaleolar ocorre quando os ligamentos do lado de dentro, ( “medial”) do tornozelo estão rompidos, juntamente com um dos outros “maléolos.” Maléolos é pleural para maléolo. Normalmente, isto significa que a fíbula está quebrada, juntamente com lesão dos ligamentos mediais, tornando o tornozelo instável. Um “teste de estresse” de raios-X pode ser feito para ver se os ligamentos mediais estão lesados.

Fraturas Bimaleolar ou fraturas Bimaleolar equivalentes são fraturas instáveis e podem estar associadas com uma luxação do tornozelo. Essas lesões são consideradas instáveis e cirurgia geralmente é recomendada.

Tratamento não cirúrgico 

Pode ser considerado se o paciente tem problemas de saúde significativos, onde o risco da cirurgia pode ser muito grande. A tala gessada é normalmente usado até que o inchaço tenha diminuído. O paciente deve consultar o médico regularmente para repetir os exames de raios-X para certificar-se de seu tornozelo permanece estável. Normalmente, A carga não será permitido no tornozelo durante algumas semanas.

Tratamento cirúrgico 

Normalmente, o tratamento cirúrgico é recomendado nas fraturas com o tornozelo instável. Fraturas dos maléolos Medial e lateral são tratadas com as mesmas técnicas cirúrgicas como escrito acima.

Tratamento: Fraturas Trimaleolares e fraturas Luxação do tornozelo 

“Tri” significa três. Fraturas Trimaleolares significa que todos os três maléolos do tornozelo foram quebrados. Estes são lesões instáveis e podem ser associados com um deslocamento. Outras lesões muito graves são as chamadas fratura luxação. A fratura luxação ocorre quando o tornozelo quebra e sai do lugar.

Tratamento não-cirúrgico 

Essas lesões são consideradas instáveis e a cirurgia geralmente é recomendada, quando o tornozelo está luxado (fora do lugar) requer tratamento médico imediato e o ortopedista vai puxar e colocar o tornozelo no lugar, as fraturas associadas podem ser tratadas posteriormente. Tal como acontece com fraturas de tornozelo Bimaleolar, o tratamento não-cirúrgico pode ser considerado se o paciente tem problemas de saúde significativos, onde o risco da cirurgia pode ser muito grande ou nos pacientes que não andam. As fraturas luxação sempre requerem no mínimo redução e cirurgia na maioria dos casos.

Tratamento cirúrgico 

Cada fratura pode ser tratado com as mesmas técnicas cirúrgicas como escrito acima, depois que o tornozelo está reduzido (colocado no lugar) também.

Tratamento: Lesões da Sindesmose 

Estes também são conhecidos como entorses graves do tornozelo quando não há fratura. Essas entorses demoram mais para cicatrizar do que a entorse de tornozelo normal e podem evoluir com instabilidade. Quando há fraturas de outros ossos do tornozelo, são lesões instáveis. Eles evoluem muito mal, sem tratamento cirúrgico.

Certos tipos de fraturas de tornozelo bimaleolar tem uma lesão associada na sindesmose. Seu médico pode fazer um “teste de estresse” de raios-X para ver se o sindesmose está lesada.

Reabilitação 

A reabilitação é muito importante, independentemente de como uma fratura de tornozelo é tratada. Quando seu médico lhe permite começar a mover o tornozelo, fisioterapia e programas de exercícios em casa são muito importantes. Fazer esses exercícios regularmente é a chave da boa evolução.

Pode levar vários meses para os músculos em torno do tornozelo ficarem fortes o suficiente para andar sem mancar e para retornar às suas atividades regulares.

Retorno ao Esporte 

Embora a maioria das pessoas retornem às atividades diárias normais, exceto para o esporte, dentro de 3 a 4 meses, estudos têm mostrado que as pessoas podem ainda estar se recuperando até 2 anos após fratura o tornozelo. Pode levar vários meses para que o paciente pare de mancar. A maioria das pessoas voltam a dirigir dentro de 9 a 12 semanas a partir do momento em que foram feridos.

Edema (inchaço) residual

O edema residual principalmente no final do dia é uma sequela muito frequente após a cirurgia, pode ser manuseada com compressas (quente / frio), fisioterapia e meias elásticas.

Saiba mais sobre as fraturas de tornozelo >
Saiba mais sobre a artrose no tornozelo >

TEM ALGUMA DÚVIDA? Então deixe uma pergunta nos comentários abaixo, que será respondida.

Tornozelo e Pé - Brasília
Tornozelo e Pé - Brasília

A Clínica Salus Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura em Brasília / DF atua principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fratura e luxação em crianças e adultos, fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural, através de protocolo exclusivo baseado na análise cinemática da marcha.

No Comments

Escreva uma Mensagem ou Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *