Lesão labral no quadril

O quadril trata-se de uma articulação do tipo esferoide, ou seja, que pode se movimentar em todos os planos, o que confere a ela uma característica peculiar relacionada a sua estabilidade.

Algumas estruturas são responsáveis por essa estabilidade dentre elas o labrum acetabular ou simplesmente lábio do acetábulo. É uma estrutura composta de fibrocartilagem que envolve a articulação quase que na sua totalidade e além de aumentar a estabilidade, promove o que nós chamamos de propriocepção, ou seja, informa ao cérebro qual a posição que a articulação se encontra no espaço sem que precisemos olhar para ela.

O lábio acetabular é uma estrutura altamente inervada e pouco vascularizada o que leva a um quadro de dor se houver qualquer lesão em seu conteúdo sendo muito difícil a sua cicatrização. Normalmente a lesão ocorre devido a uma condição de agressão em longo prazo do labrum e está relacionada a alguns pacientes portadores de uma anatomia específica de seus quadris. A prática desportiva sem dúvida pode também aumentar a possibilidade de uma lesão labral e os esportes mais relacionados são aqueles que envolvem movimentos de rotação do quadril ou que necessitam de mudanças bruscas de direção. Podemos citar então. esportes de contato como: artes marciais, hockey no gelo, futebol, rugby entre outro. Esportes que necessitam de uma rotação vigorosa do quadril como o golfe, tênis, esgrima e dança (ballet).

, Lesão labral no quadril, Ortopedista Especialista em Quadril de Brasília - DF

Os sinais e sintomas normalmente sentidos por aqueles que apresentam uma lesão labral são variados e podem começar durante a prática desportiva ou não. A dor é o principal, geralmente na parte anterior do quadril ou na região inguinal, e aparece de forma progressiva. Ressaltos, “cliques” ou bloqueios da articulação também podem ser sentidos, porém, são menos frequentes.

Para fazer o diagnóstico o médico deve realizar um exame físico detalhado com algumas manobras específicas que podem alertar para patologia, porém um exame de imagem (Artro-Ressonância Magnética) é fundamental para se estudar o tipo de lesão e programar o tratamento.

Uma vez diagnosticada uma lesão no labrum acetabular deve ser iniciado o tratamento que consiste na fase inicial em um programa de analgesia. A fisioterapia deve ser iniciada nesta fase visando o fortalecimento da musculatura e uma melhora da propriocepção. As atividades físicas devem ser diminuídas e os movimentos que causam dores, evitados.

Na falha do tratamento conservador pode estar indicado um procedimento cirúrgico chamado artroscopia que consiste na introdução de uma pequena câmera na articulação do quadril seguida de instrumentos maleáveis que podem retirar a parte lesada do lábio acetabular ou repará-lo através de uma sutura ou reinserção dependendo do tipo de lesão apresentada. Durante a artroscopia, a articulação do quadril pode ser completamente examinada a procura de outras lesões que podem estar associadas à lesão labral, como defeitos na cartilagem da articulação, no ligamento da cabeça femoral ou ainda corpos livres soltos. Pode-se ainda realizar a correção do defeito ósseo anatômico que eventualmente está presente e pode ser a causa da lesão.

Após a cirurgia, o paciente deve ficar durante algum tempo utilizando-se de muletas variando de acordo com o procedimento realizado. Imediatamente deve também ser iniciada a reabilitação, baseada em protocolo específico que pode variar de cirurgião para cirurgião. O retorno às atividades normais e ao esporte depende de cada caso, porém está diminuindo graças às novas técnicas empregadas.

Dor no quadril em atletas >
Síndrome do impacto fêmoro-acetabular >

TEM ALGUMA DÚVIDA? Então deixe uma pergunta nos comentários abaixo, que será respondida.

Quadril-Brasília
Quadril-Brasília

A Clínica Salus e Consolidação Ortopedia, Fisioterapia e Acupuntura em Brasília / DF atua principalmente no tratamento de lesões de cartilagem, buscando sua reparação e transplante; rupturas ligamentares articulares e sua reconstrução biológica e prevenção; tratamento da artrose, com medidas medicamentosas e artroplastias; tendinites e rompimento de tendões provocadas tanto por atividades esportivas, como por alterações degenerativas; fraturas e luxações em crianças e adultos, fraturas em idosos que apresentam ossos mais frágeis; e enfoque na reabilitação muscular e postural, através de protocolo exclusivo baseado na análise cinemática da marcha.

No Comments

Escreva uma Mensagem ou Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *