Síndrome da sinostose tibiofibular proximal

A articulação tibiofibular proximal é articulação sinovial entre côndilo tibial lateral e cabeça da fíbula. Ao menos 10% da população possui comunicação entre esta articulação e a tibiofemoral, justificando alguns casos de derrame articular discreto no joelho.

Causas

A sinostose tibiofibular proximal sem exostose hereditária múltipla é extremamente rara e apenas 7 casos foram relatados na literatura. Todos os casos relatados anteriormente acompanharam deformidades como posicionamento distal da articulação tibiofibular proximal, discrepância no comprimento da perna, curvatura da fíbula e deformidade em valgo do joelho.

Existem casos idiopáticos e associados com traumas e pós-operatórias de fraturas do platô tibial.

Existem casos raros, sem histórico de trauma nem deformidade ao redor do joelho, Portanto, sugeriu-se que esse tipo de sinostose ocorresse após o fechamento da placa epifisária.

Tratamento

A sinostose não parece ser causa dos sintomas em nenhum dos casos.

Os pacientes são tratados de forma conservadora, com repouso por 6 semanas e reabilitação muscular. Não foi verificada evidência de que a sinostose acelerasse o início ou a progressão das alterações degenerativas do joelho ipsilateral.

Referências:

Conheça mais sobre doenças que acometem o joelho, clicando aqui >

Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments