hoover

Sinal de Hoover

Sinal de Hoover (pneumologia)

Traduz o movimento paradoxal da grelha costal, para dentro, durante a inspiração, frequentemente associado a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC).

Neste contexto, a hiperinsuflação crónica leva à horizontalização do diafragma, que quando contrai (na inspiração) traciona as costelas inferiores.

sinal de hoover

Sinal de Hoover (neurologia)

Este sinal pretende distinguir uma paralisia orgânica de não-orgânica de um dos membros inferiores.

Caracteriza-se pela extensão involuntária do membro que se quer testar quando o doente eleva a perna contra-lateral contra resistência.

No caso de patologia orgânica não se sentirá pressão no calcanhar da perna com paralisia.

No caso de patologia não-orgânica (ver imagem), o doente inicialmente procura não exercer força (A) e quando aplicado o teste, é possível sentir pressão no membro “afetado” (B).

hoover

História

O sinal de Hoover foi descrito pelo Dr. Charles Franklin Hoover para diferenciar entre a fraqueza orgânica e funcional da origem piramidal.

Esse exame geralmente é realizado nos membros inferiores e é valioso quando, à beira do leito, não se tem certeza sobre a natureza da hemiparesia.

Um sujeito com hemiparesia de causa orgânica enquanto solicitado a flexionar o quadril da perna normal contra a resistência não exercerá pressão na mão do examinador colocado sob o calcanhar no lado afetado, enquanto na fraqueza histérica a pressão aumentada será sentida na mão do examinador. A suposta gênese desse sinal poderia ser o reflexo extensor cruzado ou o princípio de contração sinérgica.

É um teste clínico útil na diferenciação de paresia funcional e orgânica com sensibilidade moderada (63%) e alta especificidade (100%), mas existem algumas limitações que devem ser lembradas durante a avaliação de um paciente.

Contexto histórico

A fraqueza que é clinicamente inconsistente com qualquer doença neurológica reconhecida é um problema comum para os neurologistas. Embora tenha sido considerada uma causa física, uma perda ou perturbação da função normal pode ser atribuída a uma causa psicológica.

Os neurologistas usam desafios físicos para desencadear comportamentos motores ou relatos sensoriais discrepantes com padrões vistos em doenças neurológicas genuínas.

Diversos termos como “não-fisiológico”, “não-orgânico”, “funcional” ou “histérico” têm sido empregados pelos neurologistas para rotular descobertas que implicam um componente voluntário ou sem sentido.

O Dr. Charles Franklin Hoover (1865-1927) é lembrado principalmente por suas contribuições na distinção entre fraqueza “orgânica” e fraqueza “funcional” (isto é, psicogênica) das extremidades inferiores.

Em 1908, Hoover publicou um artigo no jornal da associação médica americana em que ele descreveu seu sinal para testar essa fraqueza funcional.

Ele descreveu o seguinte: “Se uma pessoa normal, deitada em um sofá na posição dorsal, for solicitada a levantar o pé direito do sofá com a perna estendida, o calcanhar esquerdo será observado para cavar o sofá como a perna direita e coxa estão elevados.Se você colocar a mão sob o tendão de Aquiles do lado esquerdo e sentir a resistência muscular oferecida pela perna esquerda você vai observar que o calcanhar esquerdo é pressionado no sofá com a mesma força, que é exibido em levantar a perna direita do sofá, ou seja, o calcanhar esquerdo é empregado para fixar um ponto de oposição contra o sofá durante o esforço para levantar a perna direita.Isso sempre ocorrerá se a pessoa saudável fizer um livre e esforço desinibido para levantar a perna direita “.

Não muito depois da publicação de Hoover, Philip Zenner pôde confirmar as descobertas de Hoover no mesmo periódico.

Charles Franklin Hoover foi um cientista notável do seu tempo e nasceu em 1865 em Miamisburg, Ohio.

Ele se formou na Universidade de Harvard em 1892.

Como alguns estudantes americanos ricos de sua época, ele passou 5 anos em centros acadêmicos da moda na Europa.

Ele trabalhou com Edmond von Neusser (1852-1912) na Universidade de Viena e Friedrich Kraus (1858-1936) na Universidade de Estrasburgo.

Ao mesmo tempo, ele também passou algum tempo em Paris na Clínica de Pierre Marie antes de voltar para Cleveland.

Ele foi nomeado o primeiro professor de medicina em tempo integral na Western Reserve University servindo de 1925 até sua morte em 1927.

Saiba mais:

Exame físico do pé – Traumatologia e Ortopedia

Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Traumatologia e Ortopedia
0
Deixe um comentário ou dúvida sobre o assunto aqui. Não precisa de conta, todos podem escrever.x
()
x

New Report

Close