Alongamento ósseo estético para tratamento de baixa estatura

A cirurgia de alongamento ósseo surgiu em meados de 1950 na cidade de Kurgan na Rússia, e após algumas décadas começou a ser realizada no lado ocidental do planeta. Inicialmente esta técnica era utilizada como cirurgia reparadora, para corrigir deformidades, discrepância dos membros e falhas ósseas decorrentes de traumas graves.

Procedimento estético

O alongamento ósseo estético, cujo objetivo é apenas aumentar a estatura, é um procedimento complexo, controverso e de longa recuperação. Embora produza resultados surpreendentes em termos de ganho de estatura, não é isento de complicações.

A cirurgia de alongamento para baixa estatura começou a ser realizada para tratar doenças congênitas como o Dwarfismo ou Acondroplasia (forma mais comum de nanismo).

Atualmente este procedimento é realizado em diversos países da América (EUA, Brasil, entre outros) Europa e Ásia.

Além das indicações acima citadas é utilizado para tratar pacientes com baixa autoestima devido à altura abaixo da média, sendo os homens os que mais procuram o procedimento.

Devido as novas técnicas e equipamentos mais modernos, a cirurgia para alongamento ósseo tem se tornado cada vez mais popular e menos dolorosa, entretanto nem todos pacientes são candidatos. É necessário que o candidato passe por uma avaliação psicológica para avaliar os reais ganhos de se realizar tal procedimento.

Avaliação Psicológica

A infelicidade em relação a sua imagem corporal é uma das principais causas de procura por essa cirurgia. Existem alguns transtornos que alteram nossa percepção em relação a nossa imagem:

  • Transtorno dismórfico corporal (TDC): considerado um transtorno mental onde o paciente apresenta uma preocupação exagerada com defeitos mínimos em seu corpo. Pequenos defeitos ou defeitos inexistentes resultam em reações exageradas levando a prejuízos social e profissional. Acomete mais mulheres.
  • Disforia de altura: condição na qual o paciente tem a percepção de possuir baixa estatura independente de sua altura real.
Importante:

Todo possível candidato a realizar alongamento para baixa estatura deve ser submetido a avaliação psicológica para detectar algum distúrbio que indique que o procedimento não trará nenhum ganho ao paciente, caso isso ocorra a cirurgia será contraindicada.

Ao realizar alongamento para baixa estatura devemos respeitar sempre as proporções corporais.

Quem é candidato para realizar cirurgia para baixa estatura?

Os candidatos necessitam estar em boas condições de saúde, não ser tabagista, apresentar completa maturidade óssea e ser psicologicamente estáveis.

Não existe uma altura mínima ou máxima para realizar tal procedimento, cada caso é avaliado em particular.

Qual a altura média do brasileiro?

Segundo Pesquisa de Orçamento Familiar (POF) realizada pelo IBGE de 2008-2009 revelou a altura média do brasileiro:

  • Homens 1,72 metros;
  • Mulheres 1,61 metros.

O procedimento é doloroso?

Durante o procedimento o paciente não sentirá dor devido a anestesia.

No pós-operatório deixamos medicações para controle da dor. Na alta hospitalar o paciente recebe medicações, via oral, para controle da dor em casa.

A maioria dos pacientes sentem pouca ou nenhuma dor durante a maior parte do processo de alongamento ósseo, pois ele é realizado de maneira muito lenta.

Nas primeiras 2 semanas pós-operatórias o paciente pode sentir algum desconforto, sendo que após esse período o nível de conforto vai aumentando significativamente.

Durante as sessões de fisioterapia podemos ter um agravamento da dor, por isso deixamos prescrito medicações para controle da dor para serem usadas 30 a 60 min antes da realização dos exercícios.

Alguns pacientes podem referir alguma dor ou desconforto na hora de dormir. Nessas situações deixamos prescrito medicações para dormir e analgésicos para serem tomados nesses horários.

Qual o limite máximo de um alongamento?

Não existe um limite definido para realizarmos um alongamento ósseo.

O que nos limita são os tecidos moles (musculatura, ligamentos, estruturas neurológicas e vasculares).  Até 5 cm de alongamento é seguro. Entre 5 a 8 cm temos que manter um acompanhamento rigoroso pois os riscos aumentam.

Em média alongamos 5 cm por segmento ósseo sendo que após o término deste e a cicatrização completa podemos realizar novo alongamento, por isso não existe um limite definido, sendo as condições de tecidos moles o nosso limitante.

Podemos realizar 5 cm de alongamento na tíbia e 5 cm de alongamento no fêmur totalizando 10 cm, entretanto realizar 10 cm em um único segmento em um tempo único torna o procedimento praticamente impossível pelos riscos.

Devemos lembrar que não somente os tecidos moles são um limitante para esse tipo de alongamento e sim as condições clínicas do paciente, hábitos de vida entre outros.

Atenção!

É importante salientar que devemos sempre estar atentos as proporções corporais membro-tronco na hora de planejar tal procedimento. Pacientes que apresentam um tronco pequeno e pernas longas, mesmo que apresentem baixa estatura não devem realizar grandes alongamentos por gerar uma desproporcionalidade entre membro e tronco.

Este tipo de cirurgia pode ser realizada pelos planos de saúde?

A cirurgia de alongamento para baixa estatura não é coberta por nenhum tipo de plano de saúde, pois é considerada uma cirurgia estética.

Deixa cicatriz?

Existem diversas técnicas para realizarmos tal procedimento, sendo que algumas deixam mais cicatrizes do que outras.

Caso o alongamento seja realizado por fixadores externos teremos mais cicatrizes do que se for realizado por haste de distração intramedular.

Sempre haverá cicatrizes após a realização de cirurgia para baixa estatura, podendo estas serem minimizadas após procedimentos realizados por cirurgião plástico.

A cirurgia de alongamento ósseo apresenta riscos?

Importante ressaltar que complicações possuem suas taxas de ocorrência reduzidas tornando-se raras quando o procedimento for realizado por especialista da área de Reconstrução e Alongamento Ósseo e caso ocorram podem ser corrigidas com cirurgias adicionais ou uso de medicamentos.

  • Rigidez articular 
  • Atraso na consolidação do regenerado ou não consolidação 
  • Consolidação precoce do regenerado 
  • Fratura do regenerado ósseo
  • Quebra de fio ou pino 
  • Dor
  • Infecção no trajeto do pino 
  • Estiramento de nervo
  • Trombose venosa profunda e embolia gordurosa

Por quanto tempo será necessário utilizar andador e muletas?

Para um alongamento de 5 cm no fêmur, levamos em torno de 2 meses para estar completo e outros 2 meses para iniciarmos carga total sem as muletas.

Na tíbia, 5cm de alongamento leva entre 2 a 3 meses para serem completados e outros 2 a 3 meses para o osso estar cicatrizado o suficiente para liberarmos carga total.

Durante o processo de alongamento serão realizadas radiografias seriadas sendo que este exame irá nos mostrar a progressão da cicatrização e o momento exato para liberação de carga parcial ou total.

O tempo de cicatrização pode variar entre os pacientes sendo os valores acima citados passiveis de variação para mais ou menos.

Qual o tempo total de tratamento?

Normalmente um alongamento ósseo leva 2 meses para cicatrizar cada centímetro alongado. Se realizarmos um alongamento de 5 cm este levará aproximadamente 10 meses para sua cicatrização completa. Estes valores podem variar para mais ou para menos dependendo das condições de saúde do paciente, idade, estilo de vida, dieta entre outros fatores.

Leia mais:

Inscrever-se
Avisar sobre
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Traumatologia e Ortopedia
0
Deixe um comentário ou dúvida sobre o assunto aqui. Não precisa de conta, todos podem escrever.x
()
x

New Report

Close