Ciências Básicas

Coluna

Infantil

Joelho

Mão

Ombro

Tornozelo e Pé

Quadril

Tumores

Discussões Metatarsalgia

Questão Metatarsalgia 001

Discussão:

O pé que mais comumente causa dor é o convexo simples. Ele ocorre por um aumento do arco longitudinal (como um cavo), que leva a varização do retropé e bloqueio da tarso-metatarsal. Isso leva a uma convergência dos MTT com anteriorização dos raios centrais e protrusão de suas cabeças, gerando uma insuficiência relativa do 1 e do 5 MTT.
No antepé triangular simples, a perda do arco longitudinal medial leva a aumento da divergência do MTT e convergência dos artelhos.
O pé triangular convexo é um pé convexo simples que sofre desequilíbrio em valgo; a insuficiência do 1 e do 5 raios se torna estruturada, e com isso há divergência destes MTT e convergência dos artelhos.
Por fim, no antepé cavo há um pé cavo com antepé convexo simples que apresenta desequilíbrio em varo. Com isso, ocorre aumento do varismo do retropé, elevação dos raios centrais, com suporte pelos 1 e 5 raios, que são relativamente insuficientes. Forma-se um sulco sagital na região do antepé.

Questão Metatarsalgia 002

Metatarsalgia é definida como dor plantar dos metatarsos centrais, sem incluir o 1 e o 5, portanto. 80% apresentam alguma calosidade. Acomete predomingamente adultos, sendo 8 mulheres para cada homem. Ocasionada por alterações biomecânicas do pé (92%) ou não mecânicas (8%).
Classificação de Regnaud: A: Metatarsalgias mecânicas (92%).
A1: envolvimento do pé como um todo: pé equino, antepé triangular simples, antepé convexo simples, antepé triangular convexo, antepé cavo.
A2: envolvimento do antepé:
A: congênita (agenesia, hipoplasia, macromelia, outros)
B: adquiridas (sobrecarga, trauma, deformidade dos dedos, alteração da irrigação local, neuropatia periférica, iatrogênicas).
B: Metatarsalgias não mecânicas.
B1: enfermidades locais: infecções, tumores
B2: enfermidades gerais: vasculopatias, artrites, doenças osteomusculares e metabólicas.
Conceitos de anatomia:
Pé index plus: 1 MT > outros.
Pé index plus minus: 1Mt = 2Mt > outros
Pé index minus: 2 MT > 1 MT> outros
Pode ocorrer em qualquer fase da marcha, mas predominantemente na fase de apoio após o desprendimento do calcanhar. Dividida em causas primárias (alterações anatômicas das fórmulas angulares e de comprimento dos metatarsos e outros ossos), secundária (trauma, artropatia inflamatória, hálux rígido) e iatrogênica (cirurgias mal-sucedidas).
Debridamento das calosidades não é uma boa opção, pois a causa primária de sua formação não é corrigida.
As palmilhas de valenti muitas vezes são indicadas para tratamento conservador das metatarsalgias e consistem em aliviar a carga, criando depressões, nos raios acometidos. Porém, nos casos de deformidades não flexíveis, elas não são efetivas, sendo indicada cirurgia.
Osteotomias proximais de áoice em V (Rippstein/Aiello) não são mais utilizadas pelos desvios incontroláveis e metatarsalgias de transferência.
Osteotomias distais são mais utilizadas, dentre elas:
Weil: osteotomia oblíqua com recuo do fragmento cefálico. Originalmente, sem fixação com parafuso, mas geralmente é fixada.
Hofman: Artroplastia de ressecção da cabeça do 2 ao 5 MT – AR.
Lelièvre: artroplastia de ressecção em bico de flauta da cabeça do 2 ao 5 MT + artrodese da 1 MTF – AR.
Mayo: artroplastia de ressecção da cabeça do 1 MT (pouco utilizada por maus resultados, em especial Cock-up, metatarsalgia de transferência se não tiver Hofman associado e perda de impulso se tiver).

Questão Metatarsalgia 003

Discussão:

Também conhecida como joanete do alfaiate. Proeminência lateral da cabeça do 5 MT, associada a sentar-se com as pernas cruzadas. Em 2/3 associa-se ao pé plano valgo. 2-4 vezes mais comum em mulheres, geralmente bilateral.
Pode estar associada a halux valgo; a cabeça do 5 MT pode estar aumentada congenitamente ou traumaticamente; a diáfise também pode estar angulada lateralmente.
Deve-se medir o ângulo IM 4/5; normal: 6,5-8 graus. Acima de 8 = anormal e >14 geralmente causa sintomas.
Classificação de Coughlin (RX com carga): 1) alargamento da cabeça ou exostose lateral; 2) dobra anormal do 5 MT com AIM normal; 3) AIM aumentado. Resulta em antepé alargado, sendo a deformidade mais comum.
Pode ocorrer bursite crônica.
Tratamento geralmente conservador com palmilha, espuma e sapatos de caixa larga. A cirurgia é indicada conforme a classificação:
Condilectomia lateral: tipo I.
Osteotomia metatarsal distal: Tipos II e III com AIM menor que 12
Osteotomia diafisária oblíqua rotacional: Tipos II e III com AIM maior que 12.
Ressecção artroplástica da cabeça: opção de salvação. Leva a instabilidade MTF inaceitável.
Complicações: recorrência (mais comum com condilectomia), metatarsalgia de transferência (ressecção), dedo em garra.

Questão Metatarsalgia 004

Discussão:

Todas as afirmações estão corretas

Questão Metatarsalgia 005

Discussão:

Predomínio feminino. Realmente 80% da população apresentará ao menos 1 episódio.

 

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close