Discussões Básicas

Questão Básicas 001

Discussão:
São unipenados: os interósseos palmares, e os lumbricais 1 e 2.
Um bom bizu é: os palmares já tem P, então, são uniPenados. Como os dorsais não têm P, são bipenados.

Questão Básicas 002

Discussão:
O ramo palmar profundo é formado pelo ramo terminal da artéria radial e ramo profundo da artéria ulnar. Ele é mais proximal que o superficial, mas é mais importante para vascularização que o superficial.

Questão Básicas 003

Discussão:
O espaço de parona fica entre o pronador quadrado e os tendões flexores profundos.

Questão Básicas 004

Discussão:
Os lumbricais se inserem na banda lateral, no lado radial, e são os únicos músculos que se inserem nos seus próprios antagonistas.

Questão Básicas 005

Discussão:
Anastomose de Martin-Gruber: anastomose do mediano-ulnar no nível do antebraço.
Anastomose de Martin-Gruber reverso (Marinacci): ulnar – mediano
Anastomose de Riche-Cannieu: na palma, ramo recorrente do mediano -> ramo profundo do ulnar.
Anastomose de Berretini: ramos digitais oriundos do mediano – ulnar.

Questão Básicas 006

Discussão:
O sinal de Wartenberg é descrito no Tarcísio como a incapacidade de aduzir o 5º dedo, após realizar a abdução de todos os dedos com a palma apoiada sobre uma superfície, seguida de adução de todos os dedos.
O descrito no item D é o sinal de Froment.

Questão Básicas 007

Discussão:
O teste do cisalhamento de Reagan é feito entre o semilunar e o piramidal, para buscar lesão do ligamento semilunopiramidal. O teste feito entre o semilunar e o escafoide é de Watson.

Questão Básicas 008

Discussão:
Sinal del Marijuana é quando o paciente fica com os olhos esbugalhados, vermelhos, doidão, sem falar coisa com coisa. Mais ou menos o R1 CC1 do trauma na sexta feira às 22h na última limpezinha dus mininu.
O sinal de Froment, na realidade o teste de Froment, é realizado solicitando ao paciente que mantenha uma folha de papel presa entre o polegar e o indicador através da adução do
polegar sobre o indicador. Quando se traciona a folha, o paciente realiza flexão da IF do polegar, para segurar a folha, por lesão do nervo ulnar.
O sinal de Egawa, na realidade teste de Egawa, é realizado com o paciente com a palma sobre a mesa de exame. Ele deve estender o terceiro dedo e realizar a adução e abdução repetidas. É incapaz de realizá-las na lesão do nervo ulnar.
O sinal de Benediction, por fim, é a incapacidade de fletir as falanges distais do polegar e indicador, por lesão do NIA. Ao se pedir ao paciente que segure uma folha com as pontas destes dedos, ele o fará pela adução do polegar sobre o indicador (um Froment reverso).
Vale lembrar que o Pope’s hand é uma lesão também do nervo ulnar; ao tentar estender os dedos, o terceiro e quarto permanecem fletidos, fazendo a posição de benção. Não tem nada a ver com o Benediction.

Questão Básicas 009

Discussão:
A irrigação do escafoide é retrograda, dorsal e depende exclusivamente de um ramo da artéria radial.

Questão Básicas 010

Discussão:
As colunas de Navarro são dispostas assim:
Medial (apenas 2 ossos): Piramidal, Pisiforme.
Central: semilunar, capitato, hamato
Lateral: escafoide, trapézio, trapezoide.

Questão Básicas 011

Discussão:
Para lembrar: a aponeurose do bíceps é o único que pode comprimir o mediano. A alça de Henry pode comprimir o radial, e o ligamento de Struthers e a arcada de Struthers podem comprimir o ulnar.

Questão Básicas 012

Discussão:

São 5 polias anulares, e 3 ou 4 cruciformes.
As mais importantes são a A2 e a A4, devendo sempre ser reconstruídas, especialmente pela sua constância.
A lesão da A4 leva a deformidade em corda de arco; a A1 se relaciona ao dedo em gatilho.

questao basicas 012   

Questão Básicas 013

Discussão:
Ligamento de Grayson: vai da bainha dos tendões dos flexores à pele, e da região palmar ao feixe neurovascular. Estabiliza a pele e o feixe neurovascular em posição anatômica. Está envolvido na doença de Dupuytren.
Ligamento de Cleland (cutâneo interdigital): vai do periósteo à pele; estabiliza a pele na flexão/extensão do dorso até o feixe neurovascular, limitando a excursão de partes moles.

Questão Básicas 014

Discussão:
Compartimento Tenar: Abdutor Curto do Polegar, Flexor Curto do polegar (cabeça profunda = ulnar; cabeça superficial = mediano), Oponente do polegar. Mediano
Compartimento adutor: Adutor do polegar (cabeças oblíqua e transversa). Ulnar
Compartimento hipotênar: Palmar curto, flexor curto do dedo mínimo, oponente do dedo mínimo, Abdutor do dedo mínimo. Ulnar
O dedo mínimo é aduzido pelos interósseos.

Questão Básicas 015

Discussão:
Estruturas do túnel do carpo: 10. FSD (4), FPD (4), FLP, Nervo Mediano.
Compartimentos: 10. Tenar, hipotenar, adutor, interósseo palmar (3), interósseo dorsal (4).

Questão Básicas 016

Discussão:
O CFCT é composto por: os ligamentos radioulnares dorsal e volar, o ligamento ulnar colateral, o menisco homólogo, o disco articular e a bainha do extensor ulnar do carpo. Começa no lado ulnar da fossa semilunar do rádio e progride ulnarmente para a cabeça da ulna e o estiloide ulnar. É subsequentemente unido ao ligamento ulnar colateral, e a sua inserção distal é o piramidal, o hamato e a base do quinto meta.

Questão Básicas 017

Discussão:
A anastomose de Martin Gruber é a mais comum e ocorre entre o mediano e o ulnar na região do antebraço. Riche-Cannieu é quando ocorre na palma.

Questão Básicas 018

Discussão:
O teste de Egawa é com o paciente na mesma posição, porém deve-se estender o terceiro dedo e promover a adução e abdução.
O teste de Wartenberg é como descrito.
Ambos são para lesão do ulnar.

Questão Básicas 019

Discussão:
Os lumbricais 1 e 2 são unipenados e inervados pelo mediano. Os 3 e 4 são bipenados e inervados pelo ulnar.
Os interósseos palmares são três e são unipenados (já têm um P, então são uniPenados).
Os interósseos dorsais são 4 e são bipenados (não têm nenhum P, então são biPenados)

Questão Básicas 020

Discussão:
Os nervos demonstrados saindo da corda posterior são, em sequência: subescapular superior, toracodorsal, subescapular inferior.
O latíssimo é inervado pelo toracodorsal.
O subescapular, conjuntamente pelo subescapular superior e inferior; o inferior também inerva o redondo maior.
O redondo menor é inervado pelo axilar, junto com o deltoide.
Os peitorais são inervados conjuntamente pelos peitorais lateral e medial.
O supra e o infraespinais são inervados pelo nervo supraespinal.
Sendo assim, são em duplas, como no quadril:
Supra e infra -> supraescapular
Sub e redondo maior -> subescapular
Deltoide e redondo menor -> axilar

Questão Básicas 021

Discussão:
Fases de cicatrização
Primeira: inflamatória. Hemostasia e resposta inflamatória aguda. 1-4 dias.
Segunda: proliferativa. Angiogênese, proliferação de fibroblastos, com início de fibroplasia (formação de colágeno).
Terceira: maturação. Formação de tecido de cicatrização pela ação dos miofibroblastos. Fibroblastos do tecido de granulação que sofrem diferenciação, gerando estruturas com actina-miosina semelhante às células musculares.

Questão Básicas 022

Discussão:
O enxerto de pele total apresenta maior contração primária e menor contração secundária; maior número de apêndices epidérmicos; é mais grosso, apresentando maior sensibilidade, melhor proteção das estruturas abaixo do enxerto.

Questão Básicas 023

Discussão:
Por não possuírem um vaso principal, dependem da nutrição da derme. Com isso, os lados têm de ser simétricos.

Questão Básicas 024

Discussão:
Parede dorsolateral do tórax; coberto pelo grande dorsal. 9 a 10 digitações que se originam de 8 a 9 costelas. Insere-se em toda a extensão da borda medial da escápula. As digitações inferiores originam-se da sétima à nona costelas e possuem suprimento vascular independente do restante do músculo; irrigadas pela artéria do músculo serrátil anterior, que se origina do tronco toracodorsal, e pelo ramo da subescapular, que é um ramo da axilar. AS digitações superiores são supridas pela artéria torácica lateral.

Questão Básicas 025

Discussão:
Indicado em defeitos ósseos segmentares maiores que 6 a 8cm para ressecção de tumor, perda óssea traumática, osteomielite, pseudoartrose infectada. Pedículo de 6 a 8cm, com diâmetro arterial de 1,5 a 3mm, com duas veias.
Pedículo formado no terço médio pela artéria fibular, que contribui para a diáfise, mas não para as epífises da fíbula.

Questão Básicas 026

Discussão:
A ASI 1,2 origina-se da artéria radial, 5cm proximal à articulação radiocárpica. Passa por baixo do BR, segue distalmente sobre o retináculo dos extensores e depois se anastomosa novamente na radial.
Enxerto utilizado para PSA de escafoide.
No Kienbock, utiliza-se a 4,5 ECA (artéria do compartimento extensor).

Questão Básicas 027

Discussão:
Primeiro grau: pele rosada, eritema, sem bolhas.
Segundo grau: A: eritema, dor, bolhas, cor rosa na pele.
B: bolhas, aparência desigual entre branco e rosa e menos dor.
Terceiro grau: brancas, veias trombosadas, sem dor, pele semelhante a couro. Morte de todos os elementos germinativos da pele.

Questão Básicas 028

Discussão:
Espaços na mão são todos virtuais e só existem se preenchidos por líquido.
Mediopalmar: palma, profundo aos tendões flexores. Limite posterior: metacarpos do terceiro ao quinto dedos, fáscia dos interósseos.
Canal lumbrical: comunicação do espaço mediopalmar com o músculo lumbrical do segundo ao quarto dedos.
Espaço de Parona: espaço antebraquial profundo entre o PQ e os tendões do FPD. Comunica-se com o espaço mediopalmar.
Espaço tenar: entre primeiro e terceiro metacarpos. Estende-se distalmente pelo canal do primeiro lumbrical, e proximalmente até o espaço de parona.

Questão Básicas 029

Discussão:
A anastomose de Martin Gruber ocorre no antebraço proximal, entre o mediano (ou NIA) e o ulnar. 4 tipos são descritos:
Tipo I: 60% – ramos motores do mediano propagam-se com o ulnar para inervar músculos inervados pelo mediano.
Tipo II: 33% – ramos motores do nervo mediano inervam os músculos inervados pelo ulnar.
Tipo III: 3% – fibras motoras do nervo ulnar propagam-se com o nervo mediano e inervam os músculos inervados pelo mediano.
Tipo IV: 1% fibras motoras do nervo ulnar propagam-se com o nervo mediano para inervar os músculos inervados pelo ulnar.
Anastomose de Riche-Cannieu: ocorre na mão; ramo motor do ulnar e o ramo recorrente do mediano.

Questão Básicas 030

Discussão:
Os ramos para o BR e ERLC estão localizados proximalmente à bifurcação o nervo radial em ramos superficial e profundo. Desta forma, sua função seria preservada.

Questão Básicas 031

Discussão:
No antebraço, os músculos extensores dos dedos, do dedo mínimo e EUC são inervados pelo ramo profundo do nervo radial, após a passagem pelo músculo supinador. O ERCC é inervado proximalmente, junto à bifurcação do nervo radial.

Questão Básicas 032

Discussão:
Lembrar sempre o bizu: palmares já tem um P, portanto, são unipenados. Os dorsais, não, então são bipenados. Os lumbricais 3 e 4 têm mais espaço do que o 1 e 2, sendo, assim, bipenados (é uma desculpa esfarrapada, mas, contanto que decore… Pode pensar que eles são de maior número também – 3 e 4 > 1 e 2).

Questão Básicas 033

Discussão:
Protuberância fixa da base do 2 e 3º MTC, podendo ser dolorosa ou não. Pode acometer a inserção do ERCC. Ressecção cirúrgica é questionável pela chance de recidivas.

Questão Básicas 034

Discussão:
Suprimento sanguíneo dos tendões deriva de: fluido sinovial dentro da bainha tendínea; suprimento sanguíneo através de vasos longitudinais no paratendão, vasos intraósseos na inserção do tendão e circulação vincular.
Área isquêmica: no FSD: sob polia A2. No FPD: sob A2 e A4.

Questão Básicas 035

Discussão:
70-80% da vascularização do escafoide se dá por ramos da artéria radial entrando pela crista dorsal.
Na região da tuberosidade distal, 20-30% do osso são vascularizados pelos ramos laterovolares da artéria radial.

questao basicas 036   

Questão Básicas 036

Discussão:
O ramo profundo do nervo radial, ou NIP, encontra-se junto à artéria interóssea posterior, posterior à membrana interóssea e separado desta por músculo.

Questão Básicas 037

Discussão:
O CFCT é interposto entre a ulna distal e a fileira carpal proximal ulnar (piramidal). Origina-se na margem articular da fossa sigmoide (radio) e insere-se na base do estiloide ulnar.

Questão Básicas 038

Discussão:
A fileira carpal distal pode carregar mais de 10 vezes a força aplicada na ponta dos dedos. Aproximadamente 55 a 60% da carga na fileira distal é transmitida através do capitato, escafoide e semilunar.
No nível radiocarpal, varia de 50-56¨; na articulação radiossemilunar, 29-30%, e na ullnolunar, 10 a 21%.

Questão Básicas 039

Discussão:
Retração dos intrínsecos promove esta deformidade. Lembrar que os intrínsecos são flexores que se inserem nos extensores. Uma paralisia não iria comprometer este funcionamento.
O ligamento retinacular apresenta basicamente a mesma problemática, porém, na IFD.

Questão Básicas 040

Discussão:
O rádio tem uma forma única: cilíndrico proximal, triangular médio, oval distal. Isso produz uma fraqueza no rádio que o faz fraturar primeiro na fratura de ossos do antebraço. Ademais, o envelope muscular da parte proximal do antebraço provê mais proteção do que distalmente, onde é mais tendinoso.

Questão Básicas 041

Discussão:
Foi a questão mais errada do ER 2017. A fonte é o Campbell 11, capítulo 63.
Na avaliação da lesão do flexor superficial dos dedos, é necessário manter os outros dedos avaliados em extensão máxima, para que percam a influência do FPD (que age como um sincício, pois todos têm origem comum). A exceção é o indicador, que possui função independente.
O teste de Lister é realizado solicitando-se ao paciente que segure uma folha de papel com a ponta do indicador e do polegar das duas mãos ao mesmo tempo, para comparação. No dedo normal, isto é realizado por ação do FSD, relaxando o FPD, permitindo, assim, hiperextensão da IFD e maior contato da polpa digital do indicador. Na lesão do FSD, contudo, a pinça é realizada com a flexão da IFD, enquanto a IFP permanece em hiperextensão.

Questão Básicas 042

Discussão:
Lembrar: teste de reagan – cisalhamento entre semilunar e piramidal (instabilidade do semilunar).
Teste de Watson – lesão do escafossemilunar (instabilidade do semilunar).

Questão Básicas 043

Discussão:
O músculo adutor do polegar é inervado pelo nervo ulnar.
Ulnar: inerva: palmar curto, adutor do polegar, FCP (com mediano), AbDMin, Flexor curto do dedo mínimo, oponente do dedo mínimo, interósseos dorsais, volares e lumbricais ulnares.
Mediano: inerva abdutor curto do polegar, oponente do polegar, flexor curto do polegar, lumbricais radiais.
Radial: sem inervação na mão (apenas antebraço).

 

Traumatologia e Ortopedia

New Report

Close